Escolha as suas informações

Vendas online vão "explodir". Alguns conselhos para a Black Friday
Viver 2 min. 25.11.2021
Consumo

Vendas online vão "explodir". Alguns conselhos para a Black Friday

Um dos conselhos do CEC é que o comprador evite o pagamento antecipado por transferência bancária.
Consumo

Vendas online vão "explodir". Alguns conselhos para a Black Friday

Um dos conselhos do CEC é que o comprador evite o pagamento antecipado por transferência bancária.
Foto: dpa
Viver 2 min. 25.11.2021
Consumo

Vendas online vão "explodir". Alguns conselhos para a Black Friday

Tiago RODRIGUES
Tiago RODRIGUES
O Centro Europeu dos Consumidores (CEC) do Luxemburgo alerta para uma "explosão" das vendas online durante a Black Friday e deixa alguns conselhos para evitar problemas nas compras online.

No outro lado da Black Friday está o comércio online que continua a crescer, especialmente desde o início da pandemia da covid-19. Antecipando essa corrida aos sites nos próximos dias, o Centro Europeu dos Consumidores (CEC) do Luxemburgo deixa alguns conselhos aos internautas, sublinhando que "a experiência mostra que o número de compras online vai explodir".


Em Esch-sur-Alzette, as promoções da Black Friday começaram mais cedo. Comerciantes portugueses estão divididos.
Semana negra divide portugueses em Esch
De apenas uma sexta-feira passou ao ‘fim de semana negro’ e agora é uma semana inteira. Centro Europeu dos Consumidores alerta para uma “explosão” das vendas online.

O objetivo é evitar que os consumidores tenham problemas com as suas compras, algo que é mais comum acontecer na Internet do que nas lojas físicas. "Temos sempre muitas queixas, mas os consumidores não dizem se foi em compras da Black Friday ou de Natal. As mais frequentes estão relacionadas com produtos que não foram entregues, entregas tardias ou entregas de produtos com defeito ou com fraca qualidade. Não temos um número exato de queixas, mas são quase sempre as mesmas", explicou Christoph Neisius, advogado do CEC.

Conselhos para evitar problemas

Os quatros conselhos que o CEC deixa aos consumidores são: 

  • Certificar que os dados do vendedor estão corretos; 
  • Ter em atenção que pode haver problemas com os direitos de consumidor com os vendedores de países terceiros; 
  • Evitar o pagamento antecipado por transferência bancária; 
  • Procurar avaliações sobre o vendedor ou os produtos. 

Christoph reforça a ideia de que "as pessoas devem confirmar a veracidade dos sites, os contactos, os endereços, para terem a certeza de que os vendedores existem realmente".

O advogado do CEC aconselha os consumidores europeus a fazerem as compras dentro da União Europeia, porque facilita muito na garantia dos direitos e dos produtos. "Se vier da China ou de outro país fora da Europa, é muito mais difícil receber o produto ou então não receber de todo", alerta.

"Também devem ter cuidado com as fraudes de sites que pedem os pagamentos antecipados. Quando se paga com o cartão de crédito, devem ter a garantia para o caso de haver problemas com a entrega dos produtos. É muito mais seguro assim".

Christoph apela ainda aos consumidores para fazerem uma visita cautelosa aos sites, dando uma vista de olhos ao design. "Se for fraco, com erros de escrita ou inconsistências, se o cliente tiver uma má impressão do site, deve evitá-lo". 

Além destes conselhos, o CEC promove ainda uma ação de apoio telefónico pós-Black Friday, no dia 3 de dezembro, com cinco advogados que irão estar disponíveis para ajudar gratuitamente os consumidores com problemas ou dificuldades nas compras online.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.