Escolha as suas informações

Vai uma visita às profundezas do Mediterrâneo?
Viver 10 22.09.2021
Museu subaquático

Vai uma visita às profundezas do Mediterrâneo?

Museu subaquático

Vai uma visita às profundezas do Mediterrâneo?

Foto: AFP
Viver 10 22.09.2021
Museu subaquático

Vai uma visita às profundezas do Mediterrâneo?

Catarina OSÓRIO
Catarina OSÓRIO
A nova atração cultural do Chipre fica debaixo de água. Isso mesmo... um museu subaquático. O local abriu ao público em agosto e as visitas são grátis.

Chama-se M.U.S.A.N. e integra a maior floresta subaquática do mundo. Mais de 130 obras de arte fazem parte deste museu situado no fundo do mar, na costa sudoeste do Chipre, que abriu portas em agosto passado. A visitas são gratuitas e abertas ao público, através de mergulho ou snorkelling (mergulho à superfície). 

O projeto situa-se em Pernera, uma área marinha protegida, e tem como objetivo sensibilizar para a importância de proteger os oceanos e a biodiversidade marinha. As obras ocupam uma área aproximada de 167 metros de areia a uma profundidade de até 10 metros ao largo da costa de Chipre. 

De acordo com o site oficial do museu são "um símbolo para melhorar a história de Agia Napa (cidade turística) recentemente considerada Área Marinha Protegida, ao mesmo tempo que reconhece as práticas de desflorestação do passado". 

A pensar nisto, as esculturas são todas feitas com um cimento amigo do ambiente que facilita o crescimento dos corais. O prestigiado escultor subaquático britânico Jason deCaires Taylor foi o criador do projeto. O artista tem-se dedicado ao longo dos anos às causas marinhas e ambientais através da arte com instalações subaquáticas em várias partes do mundo. 

Taylor ganhou notoriedade internacional em 2006 com a criação do primeiro parque de esculturas submarinas do mundo, situado ao largo da costa ocidental de Granada, nas Índias Ocidentais. O "Moilinere Bay Underwater Sculpture Park" é considerado uma das 25 Maravilhas do Mundo pela National Geographic.

Ao todo, Taylor já instalou mais de 1.000 esculturas terrestres e subaquáticas em locais como o Golfo do México, nos fiordes na Noruega ou na Grande Barreira de Corais, na Austrália. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.