Escolha as suas informações

Nova lei para reduzir ácidos gordos em alimentos da UE entra em vigor em 2021
Viver 24.04.2019

Nova lei para reduzir ácidos gordos em alimentos da UE entra em vigor em 2021

Nova lei para reduzir ácidos gordos em alimentos da UE entra em vigor em 2021

Viver 24.04.2019

Nova lei para reduzir ácidos gordos em alimentos da UE entra em vigor em 2021

Uma das regras que serão impostas às empresas é a limitação da quantidade de gorduras transgénicas a dois gramas por cada 100 gramas de gordura nos alimentos.

A nova lei que introduz um limite à utilização de gorduras transgénicas em alimentos da União Europeia (UE) entra em vigor em 2021, visando reduzir estes ácidos gordos e criar hábitos alimentares mais saudáveis, anunciou hoje a Comissão Europeia.


Má alimentação mata mais do que tabaco
Novo estudo garante que dietas pouco equilibradas causam 11 milhões de mortes por ano.

Em comunicado, a Comissão dá conta de que adotou esta quarta-feira este regulamento, que será aplicável a todos os países da UE a partir de 2 de abril de 2021, dando tempo a que as empresas se adaptem às novas regras.

Essas regras incluem um limite de dois gramas de gorduras transgénicas por cada 100 gramas de gordura nos alimentos destinados ao consumidor final e ao abastecimento do retalho na UE.


Luxemburgo já não está no top 10 dos países mais saudáveis do mundo
O Grão-Ducado é o 11° país mais saudável do mundo, tendo descido um lugar no ranking da Bloomberg Healthiest Country. Espanha ficou em primeiro lugar.

Caso este limite seja excedido, as empresas de produção alimentar terão de, obrigatoriamente, informar as empresas a quem vendem tais produtos.

Na nota, o executivo da UE vinca que a medida tem como objetivo “proteger a saúde dos consumidores e fornecer opções alimentares mais saudáveis aos cidadãos europeus”.


Nutricionistas alertam para riscos no consumo de produtos sem glúten e sem lactose
As pessoas que não são intolerantes ao glúten e à lactose, mas que por moda começam a consumir produtos sem esses nutrientes, arriscam-se a ficar com intolerância, defende Pedro Graça, diretor da Faculdade de Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.

A Comissão Europeia recorda que vários estudos científicos, incluindo da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos, recomendam a redução das gorduras transgénicas nos alimentos.

Lusa


Notícias relacionadas