Nasa anuncia saída "oficial" do Voyager 1 do sistema solar

A Nasa anunciou hoje oficialmente que a sonda Voyager 1 já entrou no espaço interestelar e deixou para trás, definitivamente, o sistema solar. Outros astrónomos discordam e dizem que a Voyager 1 já deixou a helisofera há um ano. O problema está no que se entende por sistema solar.  A sonda foi enviada há 36 anos e é o objecto criado pelo Homem mais distante da Terra.

A sonda Voyager 1 é actualmente o objecto criado pelo Homem que mais distante se encontra da Terra.
A sonda Voyager 1 é actualmente o objecto criado pelo Homem que mais distante se encontra da Terra.
Imagem: Nasa

Mais vídeos podem ser encontrados na nossa página de vídeo

O problema com este anúncio é que os astrónomos não estão todos de acordo com o que se compreende por sistema solar. Se os seus limites estão até onde existem planetas e planetóides, ou seja um pouco para além da órbita de Plutão, ou se o sistema solar se estende até ao limite da heliosfera, ou seja, até onde os ventos solares chegam, ou ainda se vão até aos limites da heliopausa, i.e., uma zona tampão entre a heliosfera e o espaço sideral (ou interestelar).

Na primeira hipótese, a Voyager 1 já saiu do sistema solar há cerca dez anos. Na segunda, saiu num momento que se situa entre Agosto de 2012 e Março de 2013. Na terceira, ainda não saiu. Por isso, o anúncio da Nasa pode ser tardio ou demasiado prematuro.

Já em Março deste ano, a revista Geophysical Research Letters publicou um estudo que sugeria que a sonda Voyager 1, lançada em 5 de Setembro de 1977 pela NASA, já tinha ultrapassado as fronteiras do sistema solar (heliosfera) e tinha entrado no espaço interestelar.

No entanto, a NASA recusava até então essa hipótese. 

Diga-se que o debate já dura há uma década.

O responsável do estudo apresentado em Março, Bill Webber, professor na reforma da Universidade do Novo México, assegurava que os dados recebidos da sonda, a 25 de Agosto de 2012, revelavam que esta já tinha deixado a heliosfera.

No espaço onde agora viaja, a Voyager 1 deixou de revelar indícios dos ventos solares da nossa estrela (Sol) e começou a receber uma quantidade cada vez maior de raios cósmicos galácticos, que são partículas altamente carregadas em energia produzida pela nossa galáxia. 

Como dentro da heliosfera, "estamos" protegidos desses raios cósmicos, pois esta zona de influência do Sol desvia ou trava essas partículas, a conclusão parece ser que a sonda já deixou a heliosfera.

O que é a conclusão a que só agora a Nasa chegou ou que só agora admite, avançaram hoje Ed Stone, gerente do projecto, e John Grunsfeld, administrador para a Ciência da Nasa.

Para outros astrónomos, a sonda ainda se encontra na heliopausa, que faz parte da heliosfera, isto é, numa zona de turbulências fina entre a heliosfera e o espaço interestelar,  pois ainda não sofreu uma mudança de direcção do campo magnético como deverá acontecer quando chegar a essa zona exterior à influência do Sol.

Uma das outras responsáveis do projecto, Suzanne Dodd, fez notar que a sonda foi capaz de fazer esta viagem histórica graças à tecnologia de ponta de 1977, e salientou que o seu smartphone actual tem 240 mil vezes mais memória do que a Voyager 1. As baterias da sonda deverão durar até 2030, ano em que enviará a última mensagem para a Terra.

A Voyager 1 encontra-se actualmente a cerca de 115 UA (19 mil milhões de km) da Terra, o que faz da sonda o objecto criado pelo Homem que mais distante se encontra da Terra. As mensagens demoraram cerca de 17 horas a chegar até nós.

No nosso céu, a sua trajectória encontra-se no plano da constelação de Ophiuchus (Serpentário). 

Há mais três sondas da Nasa prestes a sair do sistema solar

Há três outras sondas da Nasa que deverão estar a deixar o sistema solar. 

A primeira das quatro a ser lançada e a segunda mais distante da Terra, logo atrás da Voyager 1, é a sonda Pioneer 10. 

Lançada em 2 de Março de 1972, na direcção da estrela de Aldebaran, onde deverá chegar daqui a dois milhões de anos, calcula-se que a Pioneer 1 se encontra actualmente a cerca de 107 UA da Terra.  

A sonda Voyager 2, lançada 15 dias antes da Voyager 1, a 20 de Agosto de 1977, é a terceira mais distante da Terra e encontra-se a cerca de 100 UA da Terra. 

A Voyager 2 viaja igualmente em direcção da estrela de Aldebaran, onde deverá chegar dentro de 2 milhões de anos. 

A quarta e a mais próxima de nós é a sonda Pioneer 11, lançada a 5 de Abril de 1973, que deverá encontrar-se actualmente a cerca de 86 UA da Terra. A Pioneer 11 viaja na direcção da constelação da Águia. 

A grande diferença entre as sondas Voyager e as Pioneer é que as primeiras continuam a enviar dados para a Terra e as segundas já não. A Pioneer 10 deixou de emitir em 1995 e a Pioneer 11 em 2002. É também por este motivo que as Pionner têm merecido menos "publicidade" do que as sondas Voyager, que até uma conta Twitter têm em seu nome.

José Luís Correia

(esta notícia foi igualmente publicada no blogue da Redacção sobre exploração espacial, Stargazer@Lux)