Escolha as suas informações

Na vida pós-filhos, o sexo é à hora marcada
Opinião Viver 06.05.2022
Diário de uma mãe imigrante a mil

Na vida pós-filhos, o sexo é à hora marcada

Diário de uma mãe imigrante a mil

Na vida pós-filhos, o sexo é à hora marcada

Foto: Shutterstock
Opinião Viver 06.05.2022
Diário de uma mãe imigrante a mil

Na vida pós-filhos, o sexo é à hora marcada

Catarina OSÓRIO
Catarina OSÓRIO
Os filhos são uns verdadeiros 'corta-mocas'. Para não dizer outra coisa.

Tenho de admitir que subestimei o impacto de um filho na intimidade do casal. Esperei o pior: doenças, noites mal dormidas, viroses, mamas gretadas. Mas  nunca antecipei o impacto que uma criança tem na forma como um casal se relaciona no seu íntimo.

Se no pré-filhos a mão marota a qualquer hora, o beijo longo no sofá ou a nudez do lar eram regra para os casais, a parentalidade torna as coisas mais pudicas e previsíveis. E para quem ainda mantém estas práticas com filhos em casa força nisso. Mas não deixem que isso resvale até à idade dos 'porquês'. Tem tudo para correr mal.

Ao cliché de 'ver o mundo com outra perspetiva' eu acrescento: 'os filhos não nos saem da cabeça'. E são - sem culpa alguma, coitadinhos - uns verdadeiros 'corta-mocas'. Para não dizer outra coisa. Impressionante como conseguem dominar um jantar a dois, uma ida ao cinema, uma tarde de sofá, umas horas de puro sexo freestyle. Mesmo sem estarem lá.

Mas o problema é que estão lá, feitos amigos imaginários. Qual post-it mental, adivinhem onde vai sempre parar o tema de conversa de um jantar romântico? Quem corta o clima porque acordou da sesta antes da hora prevista? Qual é a primeira coisa que se pensa quando se acorda numa cama king size, com almofadas de microfibra xpto e com espaço para… enfim. E a pelezinha de estimação da barriga naquela posição marota, a quem se deve? Filhos.

E o adiar também nem sempre é garante de nada. 'Ah, mantém-te na vibe e guarda para mais logo'. Já se sabe como acaba não é?! Sofá, copo de vinho na mão e cabeça a bater no queixo.

Posto isto, já não basta ter de educar um filho, é preciso trabalhar a sexualidade a dois, dizem as terapeutas da moda. Com estratégias e todo o tipo de artimanhas apontadas em blocos de notas. 

Como se arranja tempo a dois? Sexo à hora marcada. Perde-se em espontaneidade, ganha-se em intensidade.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.