Escolha as suas informações

Mães que trabalham a tempo inteiro têm mais stress crónico
Viver 03.06.2019

Mães que trabalham a tempo inteiro têm mais stress crónico

Mães que trabalham a tempo inteiro têm mais stress crónico

Foto: Shutterstock
Viver 03.06.2019

Mães que trabalham a tempo inteiro têm mais stress crónico

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
É o resultado de um estudo de duas universidades no Reino Unido.

Ser mãe e manter um trabalho a tempo inteiro é a realidade de muitas mulheres. Por opção ou por imposição, esta rotina acaba por tornar-se a escolha mais comum. No entanto, um estudo recente revela que esta escolha pode ter consequências graves para a saúde mental das mulheres. 

Investigadores da Universidade de Manchester e de Essex, no Reino Unido utilizaram dados recolhidos de seis mil mulheres e analisaram fatores como o horário de trabalho, nível hormonal, pressão arterial e anteriores episódios de stress.

No estudo longitudinal - que analisa a evolução de determinados fatores ao durante um longo período de tempo - os cientistas concluíram que os níveis de stress crónico são 40 por cento mais elevados entre o grupo de mulheres que tiveram dois filhos e trabalham em horário completo, em comparação com as mulheres sem filhos e que fazem o mesmo horário. Mesmo com apenas um filho, as mães que trabalham a tempo inteiro têm 18 por cento mais stress.

Em oposição, mães com dois filhos que mantêm um horário reduzido apresentaram menos 37 por cento de stress quando comparadas com outras mães que não têm qualquer flexibilidade nas horas de trabalho laboral. O stress crónico tem origem no stress diário que é muitas vezes ignorado ou mal gerido. Em situações extremas leva a um estado permanente de alerta que causa ansiedade e depressão.

A boa gestão de tempo entre família e trabalho é um dos maiores desafios da sociedade atual. Segundo os investigadores, optar ter um horário flexível é a melhor opção para equilibrar os dois mundos e manter uma boa saúde mental.