Escolha as suas informações

Luxemburgo. Capital sem fogo de artifício na passagem de ano
Viver 16.12.2020

Luxemburgo. Capital sem fogo de artifício na passagem de ano

Luxemburgo. Capital sem fogo de artifício na passagem de ano

Viver 16.12.2020

Luxemburgo. Capital sem fogo de artifício na passagem de ano

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Quem lançar fogo-de-artifício na rua ou em outros espaços públicos na passagem de ano arrisca-se a receber uma multa, garantiu ainda Xavier Bettel.

A burgomestre da cidade do Luxemburgo, Lydie Polfer, confirmou esta quarta-feira que a capital não vai organizar a habitual exibição de fogos de artifício a partir da Pont Adolphe na noite de Ano Novo.    

"A celebração terá de ser diferente este ano", disse Polfer, reiterando que o recolher obrigatório, entre as 23h e as 06h se mantêm em vigor também na véspera do novo ano, 31 de dezembro.

Para os que optem por comprar os próprios fogos, a burgomestre explicou que terá de ser pedida uma autorização mas é "fortemente desaconselhado" e pode até ser alvo de penalização. 


Ano Novo. Dudelange proíbe fogos de artifício
Não há festejos para fechar o ano atípico que só deverá terminar na primavera.

Fogo em espaços públicos vai dar multa

Quem lançar foguetes na rua ou em outros espaços públicos na passagem de ano arrisca-se a receber uma multa. A informação foi avançada pelo primeiro-ministro, Xavier Bettel, em resposta a uma questão parlamentar da deputada Nancy Arendt, do CSV. Bettel explica que devido ao alargamento do recolher obrigatório, até 15 de janeiro, continua a ser proibido circular na via pública entre as 23h e as 6h.

"... Como consequência, nenhum fogo de artifício pode ser lançado durante esse período em espaços públicos", alerta o primeiro-ministro, acrescentando que o código penal pune quem infringir essa proibição, com multas de 25 a 250 euros.

O governante esclarece ainda que, mesmo as comunas permitam o lançamento  de foguetes, com o recolher obrigatório ninguém poderá lançar estes fogos após as 23h. E lembra que "o enquadramento legal é conhecido pelas comunas e que não é necessário neste momento fazer recomendações às autarquias". Fica a dúvida se o lançamento de foguetes poderá ser feito a partir de espaços não públicos, como terraços das casas ou varandas que garantam espaço de segurança de lançamento.

Em todo o caso, a melhor recomendação será ligar para a comuna de residência e certificar-se da autorização e dos locais onde é permitido lançar estes materiais pirotécnicos.

Com Henrique de Burgo.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas