Escolha as suas informações

Linha 90: Nova aplicação para viajantes de comboio entre França e Luxemburgo
Viver 22.04.2017 Do nosso arquivo online

Linha 90: Nova aplicação para viajantes de comboio entre França e Luxemburgo

Linha 90: Nova aplicação para viajantes de comboio entre França e Luxemburgo

Foto: Sophie Wiessler
Viver 22.04.2017 Do nosso arquivo online

Linha 90: Nova aplicação para viajantes de comboio entre França e Luxemburgo

A aplicação RailZ vai ser lançada este domingo com informações úteis destinadas aos passageiros que viajam entre comboios em França e no Luxemburgo.

A aplicação RailZ vai ser lançada este domingo com informações úteis destinadas aos passageiros que viajam entre comboios em França e no Luxemburgo.

A RailZ combina as aplicações CFL e SNCF e adiciona o elemento social do Twitter.

A aplicação usa dados de todos os comboios e da SNCF e qualquer pessoa pode sinalizar informações, incidentes ou atrasos, ou mesmo problemas como quando não há aquecimento ou ar condicionado num comboio.

"Este tipo de informações não é mencionado nas apps atuais ", disse Jonathan, um estudante de IT em Nancy, que criou a aplicação. 

Todas as informações no Twitter, SNCF e CFL serão agrupadas 

Jonathan apresentou a nova app aos prestadores de serviços de comboios e ambos reagiram positivamente à invenção. 

"A direção regional da SNCF ficou muito impressionada e queria saber mais, a CFL ficou entusiasmada e compreendeu de imediato o lado prático desta nova aplicação, tendo até solicitado a publicação de informação sobre o utilizador", referiu.

O lançamento será feito este domingo, 23 de abril. Cerca de 60 utilizadores têm vindo a testar uma primeira versão da aplicação há algumas semanas e esta foi atualizada regularmente desde então. 

"Tivemos um feedback muito positivo e os testes permitiram melhorar a RailZ e torná-la fácil de usar", garante. 

A aplicação é 100% gratuita. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os prós e os contras das apps de rastreio da covid-19
Garantir a privacidade dos cidadãos e ao mesmo tempo a segurança sanitária é uma compatibilização difícil. Uma escolha informada, funcionalidades opcionais e legislação própria podem ajudar a reduzir riscos, defende investigadora portuguesa.