Escolha as suas informações

Ensinar a dar antes de receber
Opinião Viver 3 min. 17.11.2021
Dicas/Educação

Ensinar a dar antes de receber

Dicas/Educação

Ensinar a dar antes de receber

Ilustração: Alexandra Brito
Opinião Viver 3 min. 17.11.2021
Dicas/Educação

Ensinar a dar antes de receber

Para nós o calendário do advento tornou-se uma estratégia boa e divertida para ajudar a recuperar o verdadeiro espírito da época, seja no cariz religioso, para quem o tiver, ou no caráter humanista, de reforço de valores como a família, a comunidade, a paz, a solidariedade.

Ana Cristina Barbosa, psicóloga e Alexandra Brito, professora

Na semana passada iniciámos o mês de dezembro e com ele a contagem decrescente para o Natal. Esta é uma época de festa e tradições diferentes pelo mundo fora, mas que aos poucos, como estamos num mundo global, vão sendo conhecidas e partilhadas, sendo que podemos escolher aquelas que nos fizerem sentido na educação das nossas crianças para uma maior riqueza multicultural. Uma dessas tradições é o calendário do advento.

O calendário do advento surgiu de uma tradição alemã com enquadramento religioso, em que as pessoas faziam contagem decrescente até ao dia de natal, por exemplo marcando com giz nas portas. Posteriormente passou a haver calendários físicos, em que a cada dia correspondiam imagens religiosas. Atualmente estes calendários estão bastante comercializados e à passagem de cada dia costuma corresponder um pequeno doce ou presente para as crianças. 

 E será interessante do ponto de vista educativo adotar esta tradição?

Nós diríamos que pode ser muito interessante, por um lado porque podemos contextualizar historicamente e enriquecer o conhecimento das crianças a respeito de outras culturas, por outro porque, especialmente com crianças pequenas, ajuda a materializar a contagem decrescente, acrescenta emoção e significado a cada dia de dezembro.

Habitualmente isto é feito com prendas e doces.... porém quanto aos docinhos todos os dias num mês de tantos doces e prendas ... bom... deixamos ao critério de cada família. A nossa proposta é um pouco diferente, dá um pouco mais de trabalho e é algo que ambas temos em prática pessoal e profissionalmente há cerca de 10 anos. 

Para nós o calendário do advento tornou-se uma estratégia boa e divertida para ajudar a recuperar o verdadeiro espírito da época, seja no cariz religioso, para quem o tiver, ou no caráter humanista, de reforço de valores como a família, a comunidade, a paz, a solidariedade.

 O que sugerimos é associar o calendário do advento a outro novo costume anglo-saxónico da kindness week (semana da bondade), um tempo em que se procura intencionalmente fazer algo de bom com e pelos outros… e já há muitas iniciativas dessas espalhadas pela internet, em que a cada dia corresponde uma ação a fazer.

Durante os dias do calendário, ao abrirem o envelope ou portinha correspondente ao dia, em vez de receberem alguma coisa, cabe às crianças fazer “uma pequena missão”, seja em família ou com outras pessoas, até ao dia derradeiro em que de facto vão receber, com a troca de prendas.

Seguem apenas algumas propostas do que poderiam fazer a cada dia:

  • escrever postais a pessoas que estejam sozinhas, na família e/ou em instituições. 
  • passar uma manhã num abrigo de animais abandonados, dar mimo e cuidar deles.
  • fazer um doce para oferecer a alguém.
  • fazer uma prenda para oferecer. 
  • escolher um brinquedo de que goste para dar. 
  • fazer uma lista de elogios e palavras gentis para serem lidos sempre que alguém precisar em casa. 
  • convidar um colega que costume estar sozinho para brincar. 
  • dar um abraço de 15 segundos a alguém que precise. 

Esta é então a proposta que vos deixamos hoje. Vamos aproveitar cada dia deste mês para fazer algo significativo e bom com as nossas crianças, que as faça dar um valor diferente ao Natal. 

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Apesar de toda a boa intenção, este dar tudo, fazer tudo por eles, é uma falsa forma de os ajudar a serem felizes.
Dicas/Educação
Dicas para lidar com o impacto das infeções, quarentenas e isolamentos na vida dos mais pequenos.
Dicas de Educação
Como em tudo, primeiro definimos com eles as regras, mostramos como se faz, depois acompanhamos enquanto fazem connosco, posteriormente supervisionamos quando fazem por si, em ganhos progressivos de confiança e responsabilidade.