Escolha as suas informações

Dez pontos turísticos obrigatórios no Luxemburgo
Viver 10 9 min. 26.06.2022
Lazer

Dez pontos turísticos obrigatórios no Luxemburgo

As casemates da Pétrusse reabriram desde o início de Junho.
Lazer

Dez pontos turísticos obrigatórios no Luxemburgo

As casemates da Pétrusse reabriram desde o início de Junho.
Foto: Guy Jallay
Viver 10 9 min. 26.06.2022
Lazer

Dez pontos turísticos obrigatórios no Luxemburgo

Redação
Redação
Aqui está uma lista de lugares turísticos a descobrir no Luxemburgo este fim de semana ou durante as férias.

O Verão chegou e a época das férias aproxima-se rapidamente. A redação preparou uma lista de sítios turísticos para descobrir com a sua família e amigos. 

Estão divididos geograficamente e tematicamente. Divirta-se durante o fim-de-semana. 

1) Profundamente subterrâneo nas casemates (jwi) 

Uma das maiores atrações da capital é certamente as casemates subterrâneas do Petrusse na Praça da Constituição. A antiga instalação de defesa do século XVII sob a Gëlle Fra só foi reaberta no início de Junho deste ano, depois de os túneis terem sido renovados com grandes custos. 

As escadas levam aos subterrâneos. Uma boa condição física é necessária.
As escadas levam aos subterrâneos. Uma boa condição física é necessária.
Foto: Guy Jallay

Painéis informativos contam a história do bastião subterrâneo, tochas LED mostram a iluminação historicamente modesta, e música e sons gravados criam a atmosfera certa. Uma curta projecção de vídeo completa a experiência subterrânea. Os bilhetes estão disponíveis online e no posto de turismo na Place Guillaume II na cidade do Luxemburgo. 

O preço para adultos é de 15 euros, estudantes e cidadãos idosos pagam 12 euros e crianças dos quatro aos doze anos 7,50 euros. A admissão é gratuita para crianças com menos de quatro anos de idade. No entanto, as casematas sob a rocha Bock permanecem fechadas para trabalhos de renovação. 

2) Um passeio pelo Património Cultural Mundial da Unesco (str) 

A história com mais de mil anos das fortificações da cidade do Luxemburgo é melhor descoberta a pé ao longo da rota de Wenzel. 

Foi apenas em 2015 que o circuito no planalto de Rham foi alargado.
Foi apenas em 2015 que o circuito no planalto de Rham foi alargado.
Foto: Pierre Matgé

Esta caminhada de 5,5 quilómetros através da antiga e baixa cidade começa na rocha Bock, leva ao Grund através do caminho panorâmico Corniche, atravessa o Klouschtergaart, passa a Abadia de Neumünster, chega ao planalto Rham e regressa à cidade superior. O percurso oferece vistas encantadoras da cidade e inúmeras excelentes oportunidades de fotografia. 

É aconselhável levar a brochura uma vez que fornece toda a informação relevante. Ou melhor ainda: junte-se a uma visita guiada à LCTO! E para aqueles que ainda não tiveram o suficiente, a excursão adicional de 4,5 quilómetros de Vauban deverá ser muito tentadora. 

3) O Miradouro Belvedere - longe da azáfama do Burfelt (str) 

O lago tem estado nas notícias nos últimos dias devido ao turismo de massas desproporcionado. No entanto, existem pontos mais calmos à volta do lago que o convidam a relaxar, passear, descansar e desligar-se. O Burfelt, no Neihaff entre Arsdorf e Insenborn, é certamente um deles.  

Aqui encontrará uma das praias mais calmas, que só pode ser alcançada a uma caminhada de 20 minutos, um centro de descoberta florestal aberto durante a semana pela autoridade de conservação da natureza e, sobretudo, uma plataforma de observação única que se estende muito para além das fronteiras: o Miradouro Belvedere. 

Este miradouro em forma de ponte pedonal oferece uma vista panorâmica de cortar a respiração do lago a partir de uma altura de 70 metros. Aqui é necessária uma câmara ou binóculos. Para os entusiastas das caminhadas, há também o Éisleck Pad Ënsber (10,6 km) e o Autopedestre Insenborn (9 km) - e o circuito local muito mais curto ES1 (4,6 km). O Circuito do Lago Oeste (27 km) estará novamente acessível a partir de 30 de Junho, após a reparação da ponte em Lultzhausen. 

 4) Castelo de Vianden (SH) 

Em 2019, o canal de televisão CNN classificou o castelo de Vianden como um dos mais belos do seu género e colocou o monumento luxemburguês numa lista de 21 muralhas fascinantes. O jornalista da CNN Joe Yogerst descreveu o castelo no norte do país como o castelo "mais espectacular" do Luxemburgo.

O Castelo de Vianden é um dos mais belos do seu género.
O Castelo de Vianden é um dos mais belos do seu género.
Foto: Gerry Huberty

O edifício foi construído entre os séculos XI e XIV sobre os alicerces de um castelo romano e de um refúgio carolíngio. Até ao século XV, o castelo foi a residência dos Condes de Vianden, após o que foi legado ao ramo mais novo da Casa Alemã de Nassau. No século XIX, o edifício caiu em ruína. Em 1977, o castelo, que entretanto se tinha tornado propriedade do Estado, foi completamente restaurado. O castelo pode ser visitado diariamente das 10h às 18h. Os bilhetes podem ser comprados no local. A admissão custa 10 euros para adultos, 5 euros para estudantes (13-25 anos) e 2,50 euros para crianças dos 6-12 anos. As crianças mais novas não pagam.

5) A lagoa no Mullerthal (SH) 

Esta é provavelmente a atracção mais popular no Mullerthal: o Schéissendëmpel. Aqui a água do Ernz Negro corre em três riachos sobre um cume rochoso para o lago. Não só vale a pena ver a própria cascata romântica, mas também a ponte de arenito por cima do "Schéissendëmpel". Foi construído em 1879 por Jean-Pierre Prommenschenkel de Christnach. Desde o início, a ponte foi concebida como uma atracção turística e decorada com figuras de animais. Hoje em dia, apenas restam alguns deles. A balaustrada de madeira, que só foi instalada mais tarde e que foi entretanto renovada várias vezes, também vale a pena ver.  

Une cascade exceptionnelle au Mullerthal.
Une cascade exceptionnelle au Mullerthal.
Photo: Guy Jallay

 O "Schéissendëmpel" pode ser alcançado a partir de um parque de estacionamento a apenas 500 metros de distância, mas também pode ser descoberto por uma caminhada de um quilómetro a partir do Moinho de Heringer, bem como por trilhos de caminhadas locais ou pela rota Mullerthal-Trail 3 (38 km). Para aqueles que querem evitar as multidões, recomenda-se uma viagem de manhã cedo para o "Schéissendëmpel". 

6) Viagens no tempo (j-ps)  

O Grão-Ducado deve a sua riqueza actual ao seu passado industrial. Após a descoberta de minério de ferro no sul do país, o Luxemburgo assistiu ao nascimento de uma indústria siderúrgica que tornou o país famoso para além das suas fronteiras. Uma das forças motrizes por detrás desta revolução industrial foi o caminho-de-ferro. O "Comboio 1900" perpetua a memória desta época. A associação é proprietária de várias locomotivas históricas, bem como das carruagens de passageiros que as acompanham. 

  

Uma visita ao museu ao ar livre Minettpark permite-lhe reviver o passado. O comboio 1900 oferece viagens de comboio com equipamento histórico. Pelo menos uma locomotiva funciona todos os domingos. Embora o visitante possa saber que os transportes públicos no Luxemburgo são gratuitos, o Comboio 1900 não é. O bilhete de primeira classe custa 15 euros para os adultos e dez euros para as crianças. A segunda classe é mais barata, os adultos pagam dez euros, as crianças oito. 

7) "A Família do Homem", Património Mundial da Unesco (j-ps) 

A "exposição mais influente na história da fotografia" é o trabalho de um luxemburguês. Edward Steichen nasceu em Bivange, de onde emigrou para a América com os seus pais em 1881 com a idade de dois anos. Em 1893 obteve a sua primeira máquina fotográfica e em 1947 foi nomeado director do departamento de fotografia do Museu de Arte Moderna. 


"The Family of Man" est aujourd'hui considérée comme la plus grande entreprise photographique de tous les temps.
"The Family of Man" est aujourd'hui considérée comme la plus grande entreprise photographique de tous les temps.
Photo: Marc Wilwert

Em 1955 montou a exposição fotográfica "A Família do Homem", hoje considerada o maior empreendimento fotográfico de todos os tempos. As 503 fotografias dão uma visão profunda da década de 1950, a era da Guerra Fria. Desde 1994, a colecção de fotografias tem estado alojada no Castelo de Clervaux. Em 2003, "A Família do Homem" foi incluída na Lista do Património Mundial da UNESCO. A exposição está aberta de quarta-feira a domingo entre as 12 e as 18 horas, o bilhete custa seis euros, as crianças e jovens até à idade de 21 anos não pagam. 

8) "Little New York" em Belval (fjä) 

Há 20 anos atrás, este era ainda um terreno baldio industrial. Hoje, o passado de Belval reflecte-se nos dois altos-fornos restantes, cujas chaminés enferrujadas sobem a 80 metros de altura como memorial à industrialização. Em baixo, os skateboarders saltam para o ar numa rampa branca, o centro comercial Plaza fica ao lado de cafés de comércio justo, bares hipster e shisha bars, entre edifícios semi-acabados e quase tantos guindastes de construção, chefs italianos e coreanos atraem os visitantes. O Rockhal acolheu Rammstein, Bryan Adams, Joe Cocker e Pink. Os luxemburgueses mais velhos chamam a este lugar a "pequena Nova Iorque".

Atrás da biblioteca encontra-se o alto-forno.
Atrás da biblioteca encontra-se o alto-forno.
Foto: Anouk Antony

Uma visita a Belval vale definitivamente a pena, especialmente agora, por ocasião da Capital Cultural 2022: o edifício da biblioteca não é apenas apelativo do exterior: por detrás do desenho triangular branco encontra-se um interior arquitectonicamente ousado. Quase que o faz querer voltar a ser um estudante. 

O distrito de Belval é particularmente atractivo pela sua arquitectura.
O distrito de Belval é particularmente atractivo pela sua arquitectura.
Foto: Marc Wilwert


A entrada custa cinco euros. Mais informações em: www.minetttour.lu 

 9) O túmulo de um santo e alguns magníficos livros medievais (vb) 

Il y a beaucoup à découvrir dans la basilique d'Echternach.
Il y a beaucoup à découvrir dans la basilique d'Echternach.
Photo: Anouk Antony

Há tanto para ver em Echternach que se pode facilmente passar um dia inteiro na cidade mais antiga do Luxemburgo. No centro encontra-se a impressionante basílica, o monumento religioso mais importante do Luxemburgo. Datam do século XI e foi reconstruída após sofrer grandes danos durante a Segunda Guerra Mundial. A cripta de cinco corredores alberga o túmulo de São Willibrord desde 1937. O centro de documentação é anexado à basílica. O museu da abadia na cave vale bem a pena uma visita. Faz lembrar o scriptorium em Echternach - uma oficina de escrita medieval para a produção de livros - com belas páginas fac-símile. Horário de abertura do museu e do centro de documentação: diariamente das 10h às 12h e das 14h às 17h. 

 10) Voltar ao passado de comboio (GlS) 

O Museu Nacional da Mineração em Rumelange leva-o de volta ao velho mundo da mineração. Os visitantes viajam através da rede de minas subterrâneas com o comboio da mina. As grandes janelas das carruagens proporcionam uma vista inesquecível do mundo das galerias. Uma vez dentro da mina, os visitantes podem fazer uma visita guiada. Podem admirar uma colecção deslumbrante de máquinas e ferramentas de trabalho antigas. 

A viagem de comboio demora 20 minutos, com vistas inesquecíveis através das galerias.
A viagem de comboio demora 20 minutos, com vistas inesquecíveis através das galerias.
Foto: Chris Karaba

O museu está aberto nos dois dias do fim-de-semana, das 14 às 18 horas. 

(Artigo publicado originalmente na edição francesa do Luxemburger Wort.)    


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.