Escolha as suas informações

Carros da polícia presos por detalhes
Um dos dois modelos Tesla S da polícia luxemburguesa que ainda não saíram da garagem.

Carros da polícia presos por detalhes

Foto: Pierre Matgé
Um dos dois modelos Tesla S da polícia luxemburguesa que ainda não saíram da garagem.
Viver 01.03.2018

Carros da polícia presos por detalhes

Paulo Jorge PEREIRA
Paulo Jorge PEREIRA
Segundo o Governo, a homologação estará a chegar. Custo total perto dos 243 mil euros.

Os deputados Léon Gloden e Laurent Mosar perguntaram e o Governo do Luxemburgo respondeu: os dois carros desportivos elétricos Tesla S que a Polícia Grã-Ducal foi autorizada a adquirir e cujo custo total chega aos 242.880 euros ainda não estão prontos porque aguardam dossier técnico completo.

Gloden e Mosar usaram como argumento uma reportagem do site rtl.lu segundo a qual a Socitété Nationale de Circulation Automobile (SNCA) não pudera passar os atestados de conformidade para os carros em causa devido às sirenes giratórias de emergência azuis, uma vez que seria preciso submeter as viaturas a testes suplementares, embora já estejam a circular pelas estradas do Grão-Ducado com matrículas provisórias.

Na resposta enviada aos parlamentares, Étienne Schneider, vice-primeiro-ministro, ministro da Economia e do Interior, esclareceu que “a SNCA não detetou qualquer inconformidade, uma vez que os veículos não lhe foram ainda apresentados. A Polícia Grã-Ducal aguarda o relatório de especialistas técnicos do TüV para que seja enviado à SNCA um dossier técnico completo”. E “o relatório deve chegar no final de fevereiro”. Schneider referiu ainda que “o certificado que será entregue por uma entidade alemã faz parte do dossier técnico a ser enviado à SNCA como documentação para a matrícula de cada veículo completamente equipado”.

O preço da modernidade

Nas perguntas colocadas a Schneider, os deputados quiseram saber também a quanto ascendia o custo dos dois carros. A resposta chegou sob a fórmula de uma tabela (ver quadro ao lado) em que se “recapitulam” as verbas em questão, num total de 243.880 euros (ver tabela em baixo).

Aí se explica que o preço de aquisição diz respeito aos veículos “tal como foram comprados” ao fabricante. Estas despesas estão, segundo o documento, “cobertos pelo Fundo clima e energia (antes Fundo Kyoto)”.