Escolha as suas informações

Cães conseguem 'cheirar' o cancro nos humanos
Viver 2 min. 05.07.2019

Cães conseguem 'cheirar' o cancro nos humanos

Cães conseguem 'cheirar' o cancro nos humanos

Viver 2 min. 05.07.2019

Cães conseguem 'cheirar' o cancro nos humanos

O olfato dos caninos está a ser estudado para detetar outros tipos de cancro, numa forma muito inicial e diversas patologias que vão da malária à doença de Parkinson.

O faro apurado dos cães consegue 'cheirar' o cancro com 97% de precisão e 18 meses antes de ser detetado por outros exames médicos.

Este é o resultado de um novo estudo científico que está a entusiasmar os investigadores perante a possibilidade de criação de novos testes de deteção da doença de forma mais rápida, não evasiva e  barata. O trabalho foi apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Bioquímica e Biologia Molecular, realizada na Flórida, e mereceu grande atenção dos participantes e da imprensa.

A cientista Heather Junqueira, coordenadora desta investigação norte-americana explicou que os cães têm recetores de cheiros dez mil vezes mais eficazes do que os humanos, o que lhes permite detetar odores que os humanos não conseguem. Eles têm o olfato 40 vezes mais apurado do que o nosso. 

Esta equipa treinou três cães de raça beagle, uma das raças com olfato mais preciso, para detetarem a presença de células cancerígenas do cancro do pulmão em amostras de sangue de humanos. Os resultados foram muito entusiasmantes para a equipa. Os cães conseguiram encontrar “amostras com tumor, com 97% de precisão”, vincou esta investigadora da empresa BioScentDx, citada pelo jornal Express.

 “Um teste altamente sensível à presença de tumores poderá salvar a longo prazo milhões de vidas e mudar a forma como a doença é tratada”, defendeu Heather Junqueira.

O faro dos cães treinados pela sua equipa conseguiu também reconhecer a presença de células tumorais “18 meses antes” do que outros exames médicos. Para Heather Junqueira uma deteção precoce a este nível é “muito importante na sobrevivência de qualquer tipo de cancro”.

Faro canino detetor de outras doenças

O sentido apuradíssimo de olfato dos caninos está a ser estudado para detetar outros tipos de cancro e outras patologias que vão da malária à doença de Parkinson pela Associação britânica Medical Detection Dogs há uns anos. O cancro da próstata é a sua principal pesquisa.

Desde 2015 que esta associação, sem fins lucrativos, treina 31 cães para detetarem várias patologias através do seu olfato. Uma investigação feita em colaboração com Hospital Universitário Milton Keynes.

 “Esperamos concluir a investigação por volta de 2020 e que os resultados confirmem os estudos anteriores que já realizámos, que os cães, através do olfato, conseguem identificar a presença de várias patologias humanas, com uma taxa de sucesso de 93%”, disse Clara Guest desta associação britânica. Para estes testes, os cientistas escolheram cockers e labradores, cujo seu poder de olfato também é superior a outras raças, tal como os beagle.

No ano passado, cientistas da Medical Detection Dogs, em conjunto com colegas da Gâmbia levaram a cabo um estudo neste país africano e concluíram que os cães conseguem detetar a presença de malária em meias usadas por crianças doentes, com 70% de sucesso. Tal permitirá identificar pessoas infetadas com esta doença entre multidões, segundo vincam estes cientistas.