Escolha as suas informações

Bettel em casamento real na Rússia
Viver 1 3 min. 05.10.2021
São Petersburgo

Bettel em casamento real na Rússia

São Petersburgo

Bettel em casamento real na Rússia

Viver 1 3 min. 05.10.2021
São Petersburgo

Bettel em casamento real na Rússia

Tom RÜDELL
Tom RÜDELL
O Grão-Duque George Romanov casou com Rebecca Bettarini no passado fim de semana. O primeiro-ministro luxemburguês esteve presente como convidado privado.

Foi o primeiro casamento real em mais de um século na Rússia: um descendente do último czar russo Nicholas II casou-se na sexta-feira passada em São Petersburgo. E o primeiro-ministro luxemburguês Xavier Bettel foi um dos convidados.

A lista incluía nomes como Sofia, a antiga rainha de Espanha, o último czar Simeão II búlgaro (Simeão de Saxe-Coburgo-Gota) e a esposa Margarita, e Leka Anwar Zogu Reza, pretendente ao trono da Albânia, com a esposa Elia.

De acordo com a emissora francesa France Info, a visita de Bettel foi de natureza puramente privada, graças à sua amizade com a noiva, informação confirmada pelo gabinete de Bettel à edição alemã do Wort. Segundo o gabinete, "não houve visitas oficiais no itinerário, e o convite foi também puramente privado, baseado em relações amigáveis". 

O último casamento de um herdeiro Romanov na Rússia foi o do Czar Nicolau II e da Imperatriz Alexandra, há 127 anos.

Celebrar o casamento na metrópole báltica foi uma decisão consciente, disse o noivo: "Esta é a história da Rússia, a história da dinastia Romanov". Depois de muitos meses de pandemia, foi uma boa oportunidade para mostrar a Rússia moderna, disse o noivo George Romanov. 

O Grão-Duque George Mikhailovich Romanov e a sua esposa Victoria Romanovna Bettarini, a caminho da Catedral de São Isaac em São Petersburgo.
O Grão-Duque George Mikhailovich Romanov e a sua esposa Victoria Romanovna Bettarini, a caminho da Catedral de São Isaac em São Petersburgo.
Foto: AFP

E por falar em pandemia, ninguém foi visto em fotografias a usar proteção facial na cerimóniae do casamento na catedral. Na sexta-feira, houve um novo registo sombrio com quase 900 mortes associadas à covid-19 em todo a Rússia. O instituto alemão Robert Koch listou a Federação Russa como uma área de alta incidência desde 7 de julho de 2021. 

Embora os convidados incluíssem a porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Mariya Vladimirovna Zakharova, o Governo russo distanciou-se do evento e o porta-voz de Vladimir Putin disse aos jornalistas que o presidente russo não tencionava felicitar os noivos. O casamento não teve "nada a ver com a nossa agenda", acrescentou Dmitry Peskov. 

No entanto, parece improvável que um evento que celebre a história da Rússia com uma lista de convidados deste tipo, seja inconveniente para o Governo de Putin.

Konstantin Malofeyev com a sua esposa Irina Vilter a caminho da celebração do casamento em São Petersburgo.
Konstantin Malofeyev com a sua esposa Irina Vilter a caminho da celebração do casamento em São Petersburgo.
Foto: Reuters

George Mikhailovich Romanov (40) é bisneto do Grande Príncipe Kirill Vladimirovich, primo do último imperador. Nicholas II e a família tinham sido baleados pelos bolcheviques em Yekaterinburg na noite de 17 de julho de 1918. Ambos tinham estado presos durante meses nos Urais, após a Revolução de Outubro de 1917. 

Kirill Vladimirovich, por outro lado, conseguiu escapar. O noivo nasceu em Espanha e cresceu em França, tendo visitado a Rússia pela primeira vez com o seu avô em 1992. De acordo com o portal de notícias russo Fontanka.ru, como trisneto da Rainha Vitória, está em 140º lugar na linha do trono britânico.

A Grã-Duquesa Maria Vladimirovna Romanovna com a sogra.
A Grã-Duquesa Maria Vladimirovna Romanovna com a sogra.
Foto: AFP

De 2004 a 2006, Romanov trabalhou para a Agência de Aprovisionamento da Euratom no Luxemburgo. Já Rebecca Bettarini (39) é filha do antigo embaixador italiano na Bélgica. Converteu-se à igreja ortodoxa russa em dezembro de 2020. 

Luxemburgo e a Rússia

O Luxemburgo apoia as sanções da UE contra a Rússia na sequência da anexação ilegal da Península da Crimeia da Ucrânia em 2014. 

Em agosto, o Governo de Bettel tinha rejeitado a emissora russa RT que pretendia estabelecer-se no Luxemburgo. O canal de notícias financiado pelo Kremlin com reputação de transmitir propaganda governamental, que tinha solicitado uma licença de radiodifusão para o seu programa de televisão em língua alemã "RT Deutsch" dentro da UE via Grão-Ducado. 


Grão-Ducado nega licença para edição alemã do canal russo RT
Pedido foi feito para contornar a legislação alemã. Canal russo é visto como parte integrante dos esforços de propaganda do regime de Vladimir Putin.

Bettel, enquanto ministro responsável pelas comunicações e media, recusou. Mas ao mesmo tempo, os dois países estão intimamente ligados economicamente: durante uma visita estatal do então primeiro-ministro russo Dimitri Medvedev, Bettel promoveu o diálogo entre a UE e a sua rival geopolítica Rússia. 

No ano passado, o antigo embaixador luxemburguês na Rússia, Jean-Claude Knebeler, aceitou o cargo de consultor na Gazprombank. E o antigo ministro da economia Étienne Schneider, após ter deixado o Executivo, ocupa entre outros cargos o de "diretor independente" na holding russa Sistema PJSFC - uma empresa na qual Romanov detém ações desde 2013.  

(Artigo publicado na edição alemã do Luxemburger Wort.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas