Escolha as suas informações

Guia para umas férias mais sustentáveis
Viver 8 min. 30.07.2021
Ambiente

Guia para umas férias mais sustentáveis

Ambiente

Guia para umas férias mais sustentáveis

Viver 8 min. 30.07.2021
Ambiente

Guia para umas férias mais sustentáveis

Ana B. Carvalho
Ana B. Carvalho
Está na hora de arregaçar as mangas e viver de forma mais sustentável. Conheça algumas dicas para pôr em prática já este verão

Com as notícias mais recentes das catástrofes naturais  à Europa, torna-se impossível negar a urgência de ação ecológica e da gestão sustentável dos recursos do nosso planeta. 

Um conjunto de cientistas norte-americanos concluiu que os desastres relacionados com o clima aumentaram desde 2019, devido a temperaturas recordes e elevadas concentrações atmosféricas de gases com efeito de estufa.

Esta quinta-feira, a humanidade terá consumido os recursos planetários do ano e vai começar a viver a crédito, segundo avisou a organização não governamental (ONG) norte-americana Global Footprint Network.

E o reconhecimento da emergência climática é muito mais generalizado do que se pensava anteriormente. O "Voto do Povo pelo Clima", o maior inquérito de sempre realizado sobre a temática, que interrogou 1,2 milhões de pessoas em 50 países, constatou que dois terços das pessoas pensam que as alterações climáticas são uma emergência global e exigem mudança nas políticas ambientais.

No entanto, a acção política deve ser acompanhada de uma mudança drástica de hábitos de consumo a uma escala global. Desde os carros que conduzimos até às roupas que vestimos e aos produtos que compramos no supermercado, tudo tem um efeito de arrastamento na exploração de recursos do nosso planeta.

Aqui ficam algumas dicas para viver um verão mais ecológico e com menos impacto ambiental:

1. Tenha atenção à sua dieta

Além de apresentar benefícios para a saúde, reduzir no consumo de produtos animais e apostar em vegetais e frutas da época regionais revela-se um acto protetor do ambiente. Hoje em dia as cozinhas vegetariana e vegana são um mundo repleto de receitas deliciosas e fáceis de executar.   

Segundo um inquérito realizado pelo portal Statista, em 2018 75% dos luxemburgueses comiam carne habitualmente e 18% dos participantes diziam-se "flexitarians", ou seja, não consomiam carne em alguns dias. Para além disso, apenas 2% dos luxemburgueses diziam adotar um regime vegano.


Quer conhecer melhor o Luxemburgo de bicicleta?
Iniciativa de verão 'Vëlosummer' inclui mais de 550 quilómetros ao longo de 65 comunas em todo o país, e pretende apoiar a Horeca. Uma sugestão para quem fica no Grão-Ducado este verão.

Um estudo da Organização Europeia do Consumidor publicado em 2020 revelou que dois terços (67%) dos consumidores europeus estão abertos à mudança dos seus hábitos alimentares por razões ambientais. 

A mensagem é simples. Se queremos salvar o planeta, vamos ter de mudar drasticamente a nossa alimentação, avisou a Organização das Nações Unidas (ONU). Os seres humanos utilizam atualmente quase um terço das terras disponíveis para a alimentação.

A agricultura, a silvicultura e outras atividades de utilização dos solos contribuem 23% de todos os gases com efeito de estufa que aquecem o planeta. Além disso, se as emissões relacionadas com todo o sistema de produção alimentar (transformação, transporte, resíduos, etc.) fossem também tidas em conta, algumas estimativas sugerem que a percentagem subiria para os 37 por cento.  

Se todos nos tornássemos veganos, as emissões mundiais relacionadas com a alimentação diminuiriam 70% até 2050, de acordo com um relatório de 2016 sobre alimentação e clima da revista académica Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS).

2. Evite ligar o ar condicionado

A ventilação natural e as ventoinhas são opções bem mais amigas do ambiente. Sabia que o uso do ar condicionado está a deixar o mundo mais quente? A Agência Internacional de Energia estima que a energia consumida por este tipo de aparelhos deve triplicar até 2050 e, nessa altura, estima-se que utilizem toda a capacidade elétrica dos Estados Unidos, Europa e Japão juntos. 

Segundo a My Planet, manter as janelas e as persianas fechadas, ou os toldos abertos, quando o sol está a incidir nas janelas e abrir as janelas e as portas de casa durante a noite para o ar fresco circular são alternativas muito mais ecológicas. 

Livrar-se das lâmpadas incandescentes, que emitem calor e substituí-las por LEDS, evitar usar o forno e o fogão são outras dicas que podem ajudar na luta contra as temperaturas altas. Ah e não se esquecça! Quando não estiver numa divisão, desligue sempre as luzes.

3. Reduza o consumo do plástico

Reduzir o consumo de plástico é fundamental e uma das melhores formas de o fazer é através da utilização de garrafas reutilizáveis. A Euromonitor International constatou, em 2017, que eram vendidas um milhão de garrafas de água por minuto e previu que esse número aumentaria 20% em 2021. São 583,3 mil milhões de garrafas por ano a contribuir por um planeta mais poluído.

Se está a planear acampar ou preparar merendas, opte por talheres e recipientes que possa voltar a utilizar. Materiais descartáveis não são amigos do ambiente.

4. Poupe água 

Segundo a publicação Science Focus, um banho de imersão que encha apenas  cerca de um terço da banheira (que leva o nível da água sobre o seu umbigo quando se deita) requer cerca de 75 litros de água. Um duche vulgar aquecido eletricamente produz quatro litros por minuto. Assim, um duche de 19 minutos é apenas um litro a mais do que um banho. 

Banhos curtos e eficazes é o recomendado, de preferência com menos água quente, que também ajuda a poupar eletricidade ou gás. 

Como é que o pode fazer? Exatamente como quando lava os dentes ou a loiça: basta parar a corrente de água enquanto se ocupa do sabão e do champô.

5. Desligue a máquina de secar a roupa

Apesar de ser verão, as chuvas têm sido constantes no Luxemburgo. Mas as máquinas de secar são eletrodomésticos responsáveis por um elevado consumo de energia. 

Se tiver mesmo de as utilizar, há várias formas de minimizar o consumo de energia, como retirar o excesso de água das peças de vestuário, endireitar a roupa e ainda assegurar-se de que a máquina está cheia.

6. Escolha bem o meio de transporte 

O transporte é um dos maiores emissores de gases com efeito de estufa e outros poluentes nocivos. Se pensar duas vezes na forma como chega ao seu destino, a pegada ecológica porderá ser menor. Se está a circular localmente, tente optar por passeios a bicicleta ou a pé. Se estiver na água, velejar é melhor do que andar de barco com motor elétrico. Espá a pensar alugar um carro? Considere o veículo elétrico, ou pelo menos o veículo mais pequeno que se adapte às necessidades da sua família.

Vai viajar? Além de económicos, os comboios emitem os níveis mais baixos de gases com efeito de estufa e outros poluentes nocivos, quer sejam elétricos ou a diesel. Através de plataformas como a Trainline, se comprar bilhete com antecedência, é possível encontrar viagens económicas entre países e aproveitar para disfrutar da paisagem pelo caminho.

Quando se trata de automóveis, lembre-se que quanto maior for o número de passageiros, menor será a pegada de carbono. Ao conduzir longas distâncias, plaraformas como blablacar.com, ou carpoolworld.com podem ajudá-lo a encontrar pessoas para partilhar a viagem.

Segundo o New York Times, os navios de cruzeiro podem parecer uma boa alternativa aos aviões, mas podem ser ainda mais poluentes, dizem os especialistas. De acordo com um estudo de 2017, mesmo os navios de cruzeiro mais eficientes emitem entre três a quatro vezes mais dióxido de carbono por passageiro por quilómetro do que os voos comerciais. Os navios também costumam queimar o combustível de menor qualidade e mais poluente, o que pode afetar os passageiros, a tripulação, o ambiente e as populações dos destinos a visitar.

7. Deixe limpos os locais por onde passa 

Parece uma dica óbvia, mas é importante relembrar que a recolha do lixo que se produz e a sua separação são fundamentais para a manutenção dos ecossistemas. Se vai fazer piqueniques na floresta ou dar um mergulho na praia, certifique-se que não deixa vestígios por onde passa: antes de sair de casa certifique-se que leva pelo menos um saco para o lixo. 
 
Se tem o hábito de fumar, tenha cuidado com as beatas dos cigarros e tente experimentar utilizar um cinzeiro portátil. Além de ser inimigo da saúde e do ambiente, um cigarro mal apagado pode causar um desastre florestal. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.