Escolha as suas informações

Afinal, deve ou não ir logo para a cama depois de comer?
Viver 2 min. 23.05.2019

Afinal, deve ou não ir logo para a cama depois de comer?

Afinal, deve ou não ir logo para a cama depois de comer?

Foto: Shutterstock
Viver 2 min. 23.05.2019

Afinal, deve ou não ir logo para a cama depois de comer?

Mais importante do que a hora a que se come e se deita é manter uma dieta variada e dormir bem, dizem os investigadores.

"Não durmas de barriga cheia" é talvez dos conselhos mais ouvidos durante a infância e adolescência. Assume-se que não devemos ir dormir depois de comer, mas não se sabe exatamente a explicação para tal. O senso comum diz que pode afetar uma boa digestão e o bom funcionamento do organismo e aumentar o risco de problemas de saúde a longo prazo, como por exemplo a diabetes. 

No entanto, um novo estudo da Universidade de Okayama, no Japão, conclui que é muito improvável que a hora da nossa última refeição e a hora a que nos deitamos influenciem os níveis de glicose no sangue. A investigação, publicada no jornal "BMJ Nutrition, Prevention and Health", analisou dados de 1,573 adultos saudáveis entre 2012 e 2014. Nenhum dos inquiridos teve efeitos secundários que indiciassem doenças ou problemas de saúde mais graves, como a diabetes.

Os investigadores tiveram em conta participantes com diferentes regimes alimentares e estilos de vida. Os fatores como o peso, rapidez com que comiam, tabagismo ou a quantidade de atividade física praticada também foram tidos em consideração. Durante o processo, foram monitorizados os níveis de glicose no sangue dos participantes.

No decurso dos anos do estudo, os cientistas verificaram que os níveis de  açúcar no sangue aumentaram pontualmente (5.2 em 2012 e 5.58 em 2014), mas não foi encontrada nenhuma relação entre esse aumento e o tempo de intervalo entre a última refeição e ir para a cama. 

No entanto, a análise considerou que outros fatores foram decisivos para a alteração dos níveis de glicose: a pressão arterial, atividade física ou álcool em excesso. "Contrariamente ao senso comum, assegurar um intervalo entre comer e dormir não teve efeitos significativos na pressão arterial. Devemos, sim, dar mais atenção às porções e evitar fatores que se tornam realmente prejudiciais", afirmou Chiyori Haga, uma das médicas responsáveis pelo estudo à revista Time.

Apesar de ser um estudo observacional, os investigadores salientam a importância de dar prioridade à qualidade dos produtos que ingerimos e uma dieta variada. Dormir bem também é essencial. 

Ana Patrícia Cardoso