Escolha as suas informações

Vizinhos do Irão fecham fronteiras para evitar propagação do Coronavírus
Sociedade 4 min. 23.02.2020

Vizinhos do Irão fecham fronteiras para evitar propagação do Coronavírus

Vizinhos do Irão fecham fronteiras para evitar propagação do Coronavírus

AFP
Sociedade 4 min. 23.02.2020

Vizinhos do Irão fecham fronteiras para evitar propagação do Coronavírus

Lusa
Lusa
Turquia, Paquistão, Afeganistão, Iraque e Kuwait adoptaram a medida extrema este domingo. Irão conta oito mortos e 43 pessoas infetadas.

Turquia, Paquistão, Afeganistão, Iraque e Kuwait anunciaram o fecho de fronteiras com o Irão ou a proibição de entrada de pessoas provenientes do país, onde o novo coronavírus já infetou 43 pessoas e provocou oito mortes.

Outros países da região anunciaram medidas de precaução para evitar a propagação do vírus, depois de o Irão se ter tornado, na quarta-feira, o primeiro país do Médio Oriente com casos de morte por infeção pelo Covid-19 e, hoje, o que mais mortes regista depois da China.

Depois do Iraque, que na quinta-feira proibiu a entrada de iranianos no país e viagens de iraquianos ao Irão, assim como a suspensão dos voos de e para aquele país, a Turquia anunciou hoje o “encerramento temporário” da fronteira terrestre com a República Islâmica e a suspensão das ligações aéreas.

A Turquia decidiu ainda encerrar as estradas e caminhos de ferro que atravessam a fronteira, a partir de hoje às 17:00 locais (14:00 em Lisboa), e suspender unilateralmente o tráfego aéreo, a partir das 20:00 locais (17:00 em Lisboa), o que “significa que as partidas do Irão para a Turquia param, mas as partidas para o Irão continuam”.

O Paquistão anunciou o encerramento da fronteira com o Irão “devido a informações sobre casos de coronavírus no país” e o Afeganistão anunciou “a interdição temporária de qualquer viagem de ou para o Irão”, por via aérea ou terrestre.

Outros países da região, que não têm fronteira terrestre com o Irão, anunciaram medidas.

A Jordânia proibiu a entrada no país a qualquer cidadão não-jordano proveniente da China, do Irão ou da Coreia do Sul, os três países com mais casos mortais provocados pelo novo vírus.

Segundo um comunicado oficial, como “medida de precaução”, os jordanos que cheguem ao país provenientes de um destes países “serão colocados de quarentena durante duas semanas”, equivalente aos 14 dias definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o período de incubação do Covid-19.

O Kuwait suspendeu a entrada nos seus portos de navios provenientes do Irão, dois dias depois de ter ordenado a suspensão de todos os voos da companhia aérea estatal Kuwait Airlines para o Irão.

A Arábia Saudita proibiu, na sexta-feira, as viagens de sauditas ao Irão e a entrada de não-sauditas provenientes do país.

O Bahrain proibiu a entrada no país a não-nacionais que nos últimos 14 dias tenham estado no Irão, Singapura, Malásia ou Coreia do Sul e determinou que os seus cidadãos nessas condições fiquem de quarentena durante o mesmo período.

Também Israel, onde 180 alunos que estiveram em contacto com turistas sul-coreanos entre os quais se registaram casos de infeção pelo Covid-19 foram colocados sob quarentena de 14 dias.

O Ministério da Saúde do Irão anunciou hoje a morte de três pessoas infetadas pelo Covid-19, elevando para oito as mortes no país devido a esta pneumonia viral, e um total de 43 casos de pessoas infetadas.

Como “medida preventiva”, as autoridades anunciaram o encerramento de escolas e universidades, cinemas, teatros e outros locais em 14 das 31 províncias do país, incluindo a de Teerão.

Na capital, onde foram diagnosticados quatro dos 15 novos casos anunciados hoje, as autoridades municipais ordenaram a suspensão do funcionamento de fontes de água e o encerramento de bancas de venda de doces.

Os primeiros casos e as primeiras mortes no Irão foram registados na cidade santa de Qom, principal cidade da província com o mesmo nome, a sul de Teerão.

Os dois mortos de Qom foram identificados pelas autoridades como iranianos de idade avançada.

A nacionalidade dos restantes casos não foi divulgada.

O coronavírus Covid-19 surgiu em dezembro em Hubei, no centro da China, país onde estão registados, a nível continental, 76.936 casos, 2.442 dos quais mortais.

O segundo país mais afetado é o Japão, com 769 casos (quatro dos quais mortais), incluindo pelo menos 364 no cruzeiro Diamond Princess, onde, no sábado, foi detetada a infeção de um cidadãos português.

Segue-se a Coreia do Sul, com 556 casos, cinco dos quais mortais.

Itália surge em quarto lugar dos países e territórios com mais casos, registando 132 casos de infeção por Covid-19, dois deles mortais.

A lista prossegue com Singapura (89 casos), Hong Kong (69, dois mortais), Irão (43 casos, 8 mortais), Estados Unidos e Tailândia, ambos com 35 casos, Taiwan (26 casos, uma morte),Austrália (23), Malásia (22), Alemanha e Vietname (16 cada um), França (12, um mortal), Emirados Árabes Unidos (11), Macau (10).

Abaixo dos 10 casos registados surgem o Reino Unido e o Canadá com 9, Filipinas e Índia com 3, Rússia e Espanha com 2 e Líbano, Israel, Bélgica, Nepal, Sri Lanka, Suécia, Camboja, Finlândia e Egito com um caso cada.


Notícias relacionadas