Escolha as suas informações

Espanha. Varredor encontra mala com 11.400 euros e entrega-a à polícia
Sociedade 2 min. 22.09.2022
Galiza

Espanha. Varredor encontra mala com 11.400 euros e entrega-a à polícia

Dentro da mala que Victor encontrou estavam 11 mil euros, em notas de 50 euros, divididos por envelopes.
Galiza

Espanha. Varredor encontra mala com 11.400 euros e entrega-a à polícia

Dentro da mala que Victor encontrou estavam 11 mil euros, em notas de 50 euros, divididos por envelopes.
Sociedade 2 min. 22.09.2022
Galiza

Espanha. Varredor encontra mala com 11.400 euros e entrega-a à polícia

Redação
Redação
Um samaritano pobre é o novo herói da Galiza. Saiba quem deixou milhares de euros num banco de jardim.

Se encontrasse uma mala perdida na rua, com mais de 11 mil euros em notas, o que faria? Foi isto mesmo que aconteceu ao espanhol Víctor Montes Prado , 57 anos, há três dias, quando saiu do seu automóvel para esperar o filho e viu uma mala perdida num banco de pedra da Praça do Conselho, em Cangas, município galego de Pontevedra, Espanha.

O espanhol, varredor de rua municipal, olhou para a mala “de boa qualidade” e semi-aberta. Lá dentro viu uma carteira e, nem sequer quis saber o resto do conteúdo. Agarrou no achado e foi entregá-lo à esquadra da polícia local. Só quando os agentes verificaram a mala, à sua frente, Victor descobriu todo o seu conteúdo. No total, 11.400 euros em notas de 50 euros divididas por envelopes, mil euros cada envelope. Os agentes advertiram-lhe que “era muito dinheiro”, mas Victor mesmo que soubesse o valor do seu achado iria entregá-lo na mesma à polícia, como vincou à imprensa galega.

Primeiro, porque para ele aquele “dinheiro fácil” iria  dar-lhe "azar”, se ficasse com ele, quem sabe não “poderia ser atropelado por um carro ou ficasse doente”.

A segunda razão defendida pelo espanhol é que o dinheiro não era seu: “Se o dinheiro não é fruto do trabalho e ganho por mim, não é meu. Não me importei com o valor, não era meu e o certo a fazer era devolvê-lo, porque senão eu seria um ladrão”. Mesmo que tenha um trabalho precário, com um contrato de apenas dois meses, na limpeza do município, Victor lembra os valores que lhe foram incutidos. “Posso ser pobre, mas a humildade e honestidade ensinaram-me em casa desde criança”.

De quem era o dinheiro?

Os 11.400 euros em notas naquela mala eram as “poupanças de uma vida” de um casal de idosos de Vigo. Pouco depois de entregar a mala, uma senhora septuagenária apareceu na esquadra a comunicar que tinha perdido a mala com todas as suas poupanças. Mais tarde, a família da idosa telefonou a Victor Prado a agradecer e a convidá-lo para um café, quando voltassem a Cangas. ”Estou muito feliz por tê-lo devolvido porque os proprietários também são excelentes pessoas. São reformados e humildes como eu”, declarou à La Voz de Galicia, salientando que a sua maior aspiração é ter um “emprego estável”.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.