Escolha as suas informações

União Europeia espera "cooperação construtiva" com primeira-ministra de Itália
Sociedade 22.10.2022
Europa

União Europeia espera "cooperação construtiva" com primeira-ministra de Itália

Europa

União Europeia espera "cooperação construtiva" com primeira-ministra de Itália

Fabrizio Corradetti/LPS via ZUMA
Sociedade 22.10.2022
Europa

União Europeia espera "cooperação construtiva" com primeira-ministra de Itália

Lusa
Lusa
Os dirigentes das instituições europeias felicitaram Giorgia Meloni como primeira-ministra de Itália e por ser a primeira mulher a ocupar este cargo, pedindo à líder do partido de extrema-direita para manter "trabalho em conjunto".

“Parabéns Geórgia pela sua nomeação como primeira-ministra italiana, a primeira mulher a ocupar o cargo”, disse a presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula Von der Leyen, que em 2019 também se tornou a primeira mulher a ocupar o cargo de chefe do executivo europeu. 

“Conto e espero uma cooperação construtiva com o novo Governo relativamente aos desafios que enfrentamos em conjunto”, acrescentou Von der Leyen.

Na mesma linha, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, afirmou: “Vamos trabalhar em conjunto para benefício da Itália e da União Europeia”. O ex-primeiro-ministro belga também felicitou Meloni por ser a primeira mulher a assumir aquelas funções em Itália. 

A presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, garantiu que “a Europa precisa da Itália. Juntos superaremos todas as dificuldades”, disse, desejando um “bom trabalho” à nova primeira-ministra italiana.

A presidente do Parlamento Europeu sublinhou ainda que a “Europa enfrenta enormes desafios” e pediu para permanecer “unida e decidida” no apoio aos cidadãos europeus e a Ucrânia.



Giorgia Meloni
Giorgia Meloni. Esta é a primeira mulher líder do Governo (de direita) italiano
Fã de Mussolini, líder de movimentos de direita, contra o movimento LGBT e o aborto, fã da "família natural", Giorgia Meloni torna-se, a partir de agora, a primeira mulher a assumir o cargo de primeira-ministra de Itália.

A líder dos Irmãos de Itália (de extrema-direita), Giorgia Meloni, tomou hoje posse como primeira-ministra, perante o Presidente da República, Sérgio Mattarella, numa cerimónia que teve lugar no Salão das Festas do Palácio do Quirinal, em Roma. A posse dos ministros terá lugar no domingo.

Do total de 24 ministérios e um subsecretário da Presidência (Alfredo Mantovano) que integram o Governo de Meloni, oito serão para o seu partido, quatro para a Liga e seis para o Força Itália, ao passo que seis serão ocupados por técnicos.

Eurocética notória, Meloni desistiu de fazer campanha pela saída de Itália do euro, mas prometeu defender mais os interesses do seu país em Bruxelas – numa altura em que o crescimento depende dos quase 200 mil milhões de euros de subsídios e empréstimos concedidos pela UE a Itália, no âmbito do seu fundo de recuperação pós-pandemia de covid-19.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Jean-Claude Juncker, em Estrasburgo
O presidente da Comissão Europeia chamou hoje "ridículo" o Parlamento Europeu, num debate em que participaram cerca de 30 dos 751 eurodeputados, palavras que lhe valeram uma repreensão do líder do hemiciclo, ameaçando nunca mais participar num debate assim.
(FILES) This file photo taken on March 15, 2017 shows EU Commission president Jean-Claude Juncker gesturing as he speaks during a debate at the European Parliament in Strasbourg, eastern France. 
European Commission chief Jean-Claude Juncker launched a blistering attack July 4 on the European Parliament, sparking bitter exchanges with the head of the EU's only directly elected institution. Juncker, well known for his sharp wit, was angry to find only a handful of MEPs present at the futuristic assembly in Strasbourg to hear a report on the just completed Maltese EU presidency. "The European parliament is ridiculous, totally ridiculous," Juncker told the near empty chamber which seats 751 deputies.
 / AFP PHOTO / FREDERICK FLORIN