Escolha as suas informações

UE. Mais de 80% dos trabalhadores formados em tecnologias de informação são homens
Sociedade 2 min. 17.09.2021
Tecnologia

UE. Mais de 80% dos trabalhadores formados em tecnologias de informação são homens

Tecnologia

UE. Mais de 80% dos trabalhadores formados em tecnologias de informação são homens

Foto: Nicolas Armer/dpa
Sociedade 2 min. 17.09.2021
Tecnologia

UE. Mais de 80% dos trabalhadores formados em tecnologias de informação são homens

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Só cinco países têm mais de um quarto de mulheres empregadas com formação nas TIC. O Luxemburgo tem apenas 13,5%.

A área das tecnologias da informação e comunicação (TIC) continua a ser quase exclusivamente masculina, na Europa. Em 2020, os homens representavam 83% dos 2,7 milhões de pessoas na UE formadas nas TIC e que estavam empregadas nesse setor. 


LIST assina acordo para igualdade de género no centro de pesquisa
A ministra da Igualdade entre mulheres e homens, Taina Bofferding, e o Instituto de Ciência e Tecnologia (LIST, no acrónimo original) assinaram um acordo que visa garantir a igualdade de tratamento de género naquele instituto de pesquisa e recrutar mais mulheres.

Entre os países da UE, a Letónia foi o que registou a maior percentagem de homens no número total de empregados com formação em tecnologias da informação e comunicação (94%), seguida da Eslovénia (90%), Bélgica e República Checa (ambos 89%) e Polónia (88%), refere um estudo do Eurostat, publicado esta quinta-feira.

Mesmo nos países onde a percentagem de mulheres já é um pouco maior, ela ainda não chega aos 40%. Os países onde as mulheres tiveram maior representatividade, correspondendo a mais de um quarto dos empregados nas áreas das TIC, foram a Dinamarca (33%), Grécia (31%), Chipre (28%), Bulgária (27%) e a Roménia (27%).

O Luxemburgo seguiu o padrão dominante, com 86,5% de representação masculina entre os trabalhadores formados nas tecnologias da informação e comunicação. Um valor acima do verificado em Portugal (81%) e da média da UE (82,8%).

Em Portugal, 19% das pessoas formadas nas TIC que estavam empregadas, em 2020, eram mulheres. Uma percentagem que desce para 13,5% no Luxemburgo. A nível da UE, a média de mulheres representadas, nesta área, foi, no último ano, de 17,2%.

Maioria dos trabalhadores com formação em TIC tem entre 15 e 34 anos de idade 

Na UE, 66% dos empregados com uma formação nas tecnologias da informação e comunicação tinham entre 15 e 34 anos em 2020, enquanto 34% tinham entre 35 e 74 anos. 


Empresas luxemburguesas têm dificuldade em contratar informáticos
Cerca de 69% das empresas luxemburguesas que tentaram contratar especialistas em tecnologias de informação e comunicação (TIC) dizem ter encontrado dificuldades na hora de recrutar.

Os jovens com idades compreendidas entre os 15 e 34 anos representavam a maioria dos empregados formados em TIC em todos os países da UE, com as percentagens mais elevadas a concentrarem-se na Croácia (84%), Roménia (82%), Malta (81%) e República Checa (80%). 

Por outro lado, a Finlândia (47%), Irlanda (42%), França (41%) e Alemanha (39%) tinham as percentagens mais elevadas de pessoas com educação em TIC com idades compreendidas entre os 35 e os 74 anos, que estavam empregadas.

O Luxemburgo ficou mais próximo deste segundo grupo, tendo 63,1% de pessoas com idades entre os 15 e 34 anos, e 36,9%, com idades entre os 35 e os 74 anos, empregadas com algum tipo de formação nessa área. Em Portugal, a diferença etária revelou-se maior, com os mais jovens a ocuparem mais de dois terços (77,9%) dos empregos para pessoas formadas nas TIC (face a 22,1% com idades entre os 35 e os 74 anos).

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas