Escolha as suas informações

UE compra mais de 100 mil doses de vacina contra a varíola
Sociedade 3 min. 14.06.2022
Varíola dos macacos

UE compra mais de 100 mil doses de vacina contra a varíola

Varíola dos macacos

UE compra mais de 100 mil doses de vacina contra a varíola

Foto: dpa
Sociedade 3 min. 14.06.2022
Varíola dos macacos

UE compra mais de 100 mil doses de vacina contra a varíola

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
Países com maior número de casos de varíola dos macacos serão prioritários, como é o caso de Portugal.

A Comissão Europeia anunciou esta terça-feira a compra de 109.090 doses de vacina da varíola foram compradas à empresa Bavarian Nordic usando pela primeira vez o dinheiro do novo fundo europeu dedicado à saúde, EU4Health.

A vacina de terceira geração deverá começar a ser distribuída no final de junho e primeiro para os países com maior número de casos. 

O número de casos de varíola dos macacos em seres humanos continua a crescer na União Europeia e esta terça-feira a nova Autoridade de Saúde de Prevenção e Resposta (HERA, na sigla em inglês), anunciou a conclusão de um contrato com a empresa Bavarian Nordic para a compra direta das mais de 100.000 doses do fármaco contra a varíola. 

Os estudos mais recentes indicam que o fármaco é eficaz na prevenção e tratamento do corrente surto de varíola dos macacos em humanos.

Em Portugal foram já confirmados 231 casos, uma elevada fatia dos cerca de 1.500 casos da doença conhecidos, fora de África onde a doença é endémica. Portugal é também o país europeu com o maior número de casos por milhão de habitantes. Até ao momento, não são conhecidos casos no Luxemburgo.


O diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu mais atenção para o impacto da doença em países mais pobres
OMS. Já há transmissão comunitária do vírus da varíola dos macacos
Foram confirmados mais de mil casos de monkeypox em 29 países.

Segundo o comunicado da Comissão Europeia, espera-se que as primeiras doses de vacina cheguem aos países com o maior número de casos já no final deste mês de junho. 

A compra vai ser paga com os dinheiros do fundo EU4Health, criado na sequência daquilo que a Comissão designou como as lições aprendidas com a covid-19. A compra é também uma das primeiras ações de destaque da nova autoridade HERA, que faz parte do projeto da CE de criar a curto prazo uma união de saúde entre os 27 países. 

As vacinas vão ser doadas aos países, ou seja, ao contrário do que aconteceu com as vacinas para a covid-19 não vão ter que ser pagas pelos orçamentos nacionais. O número de doses entregues a cada país será calculado em proporção da população e do número de casos em cada país.

O centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) aconselhou as autoridades nacionais de saúde a vacinar as pessoas aos primeiros sintomas, ou assim que se saiba que a pessoa contactou com alguém doente, para evitar o desenvolvimento da doença ou minorar a gravidade dos sintomas.


Wirtschaft, Paulette Lenert, Stelle Kyriakides Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Varíola dos macacos. Luxemburgo vai declarar 21 dias de quarentena para infetados
Até ao momento, não há registo de casos no país. Mas o Ministério da Saúde está em alerta.

Margaritis Schinas, um dos vice-presidentes da Comissão Europeia, disse, a propósito, que o organismo vai fazer todos os esforços para construir uma União Europeia de Saúde genuinamente robusta e ao serviço dos cidadãos. "É por isso que pela primeira vez estamos a usar o orçamento europeu para diretamente comprar vacinas para os Estados-membros. Prevenção eficiente e resposta a ameaças sanitárias emergentes é o nosso objetivo comum".

Desde 18 de maio foram detetados cerca de 900 casos de varíola dos macacos em 19 países da União (Áustria, Alemanha, Bélgica, Eslovénia, Espanha, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Lituânia, Malta, Países Baixos, Polónia, Portugal e Suécia) e ainda a Noruega e a Islândia, países da EFTA (Associação de Comércio Livre). 

A varíola dos macacos é uma doença zoonótica (transmitida de animais para humanos, como se suspeita seja o caso da covid-19), semelhante à varíola comum, mas menos grave. A doença é endémica em países da Africa Central e Ocidental e espalhou-se para o continente europeu pela primeira vez.


Um banco de dados de saúde com 450 milhões de cidadãos
Comissão prevê entrada em funcionamento em 2025, permitindo o acesso dos europeus aos seus dados clínicos em qualquer sítio da União. E poderá revolucionar a investigação científica.

Ministros da Saúde reunidos no Luxemburgo

Esta terça-feira, os ministros europeus da Saúde estão reunidos no Luxemburgo para discutir vários assuntos, sendo a varíola dos macacos um deles. Outro será os estranhos casos de hepatite aguda nas crianças, cuja origem ainda não foi identificada. Na agenda dos ministros, está ainda o apoio médico que a UE pode dar à Ucrânia.

Questões ligadas à União Europeia de Saúde também estão em cima da mesa, incluindo a criação de um espaço inter-europeu de dados, recentemente proposto pela Comissão, e que permitirá aos cidadãos circularem nos países com um "passaporte" de saúde digital. Bem como a recolha para efeitos de investigação dos dados dos 450 milhões de cidadãos do espaço europeu.

 

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Mas o Grão-Ducado participa nas diversas iniciativas da Comissão Europeia para assegurar a compra de vacinas. Há quatro grandes contratos em preparação com laboratórios internacionais que apontam para a compra de 1125 milhões de doses para todo os países da União Europeia.