Escolha as suas informações

UE aprova vacina dinamarquesa contra a monkeypox
Sociedade 2 min. 25.07.2022
Saúde

UE aprova vacina dinamarquesa contra a monkeypox

Saúde

UE aprova vacina dinamarquesa contra a monkeypox

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 25.07.2022
Saúde

UE aprova vacina dinamarquesa contra a monkeypox

AFP
AFP
A luz verde de Bruxelas segue-se à da EMA que aprovou a extensão da vacina Imvanex, autorizada desde 2013 contra a varíola humana.

A Comissão Europeia aprovou a extensão de uma vacina do grupo farmacêutico Bavarian Nordic contra a propagação do vírus monkeypox, anunciou o laboratório dinamarquês esta segunda-feira. 

A luz verde de Bruxelas segue-se à do regulador europeu, a Agência Europeia dos Medicamentos (EMA), que tinha dado a sua aprovação na sexta-feira à extensão à chamada varíola dos macacos da vacina Imvanex, já autorizada desde 2013 na União Europeia contra a varíola humana. A aprovação acontece também depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter decidido, no sábado, ativar o mais alto nível de alerta perante o surto, que no final da semana passada já excedia os 16.000 casos, a maioria dos quais na Europa. 


OMS declara varíola dos macacos como emergência global de saúde pública
Existem, até ao momento, mais de 16 mil casos em 75 países.

"Esta aprovação [da vacina] para a varíola dos macacos é um exemplo de boa cooperação entre os reguladores da Bavarian Nordic e os reguladores europeus, uma vez que uma extensão da utilização demora normalmente entre seis e nove meses", disse o fabricante dinamarquês numa declaração. 

A luz verde da Comissão é válida em todos os estados membros da UE, bem como na Islândia, Liechtenstein e Noruega, disse a empresa farmacêutica. 

A vacina Imvanex é comercializada sob o nome Jynneos nos EUA, onde está licenciada para utilização contra a varíola dos macacos desde 2019. Isto torna-a a única vacina licenciada para a prevenção da doença. 

 A Bavarian Nordic anunciou ter recebido uma grande encomenda americana em meados de julho, elevando o número de doses pedidas pelos EUA para sete milhões. Foi também anunciada na semana passada uma encomenda de 1,5 milhões de doses de um país europeu, desconhecendo-se qual. 

Detetada pela primeira vez nos humanos em 1970, a varíola dos macacos é menos perigosa e contagiosa que a sua "prima" varíola humana, erradicada em 1980. É transmitida através de contacto próximo e normalmente cura-se sozinha após duas a três semanas. 


Regulador da UE recomenda vacina para prevenir varíola dos macacos
A Agência Europeia de Medicamentos aconselhou a vacina usada no combate à varíola para proteger os adultos contra o Monkeypox.

A doença, que anteriormente era endémica apenas em alguns países africanos, caracteriza-se por erupções cutâneas - que podem aparecer nos genitais ou na boca - e pode ser acompanhada de febre, dor de garganta e de cabeça ou inchaço dos gânglios linfáticos. 

Na maioria dos casos recentes diagnosticados, os pacientes são homens relativamente jovens que têm relações sexuais com outros homens, mas a OMS advertiu fortemente contra a estigmatização dos pacientes.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas