Escolha as suas informações

UE anuncia compra de 1.8 mil milhões de vacinas da Pfizer para 2022 e 2023
Sociedade 14.04.2021 Do nosso arquivo online

UE anuncia compra de 1.8 mil milhões de vacinas da Pfizer para 2022 e 2023

Frascos com a vacina da Pfizer/BioNTech na Agência Nacional francesa dos Produtos e Equipamentos de Saúde, nos arredores de Paris.

UE anuncia compra de 1.8 mil milhões de vacinas da Pfizer para 2022 e 2023

Frascos com a vacina da Pfizer/BioNTech na Agência Nacional francesa dos Produtos e Equipamentos de Saúde, nos arredores de Paris.
Foto: AFP
Sociedade 14.04.2021 Do nosso arquivo online

UE anuncia compra de 1.8 mil milhões de vacinas da Pfizer para 2022 e 2023

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
E 50 milhões de doses previstas para serem entregues no terceiro trimestre começam a ser distribuídos aos países já em abril.

Cerca de 100 milhões de cidadãos da União Europeia foram vacinados contra a covid-19 até esta quarta-feira, dia 14, e mais de um quarto - 27 milhões - já receberam a segunda dose, estando totalmente imunizados. Mas as boas notícias não permitem o descanso. "É preciso acelerar. E como vimos ontem pelo anúncio da Johnson & Johnson, há muitas circunstâncias que podem perturbar as campanhas de vacinação. Temos por isso que agir com rapidez e adaptarmo-nos", disse hoje, Ursula von der Leyen. 

Numa declaração à imprensa, anunciada em cima da hora, a presidente da Comissão Europeia fez saber que 50 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech que estavam previstas serem entregues no terceiro trimestre de 2021, começam já em abril a ser enviadas para os países. O que fará com que até final do segundo trimestre, a Pfizer terá fornecido aos países da União Europeia um total de 250 milhões de doses.

Aprendendo as lições da pandemia e do que correu mal nos primeiros três meses das campanhas de vacinação, Ursula von der Leyen anunciou que a equipa da Comissão Europeia começou esta quarta, 14 de abril, negociações com a Pfizer para um terceiro contrato de 1.8 mil milhões de doses da vacina para os anos de 2022 e 2023. Von der Leyen elogiou a Pfizer/BioNTech, referindo-se à farmacêutica como um "parceiro de confiança que responde às necessidades da União Europeia, em benefício imediato das populações". Neste terceiro contrato com a multinacional, as vacinas e os componentes essenciais serão produzidos em território europeu. 

"Para vencer o vírus vamos ter que nos preparar", disse von der Leyen. "A uma certa altura vamos ter que dar uma terceira dose para reforçar a imunidade dos já vacinados. E se aparecer uma variante que não responda às vacinas já existentes vamos ter que adaptar vacinas e tê-las em quantidade suficiente", sustentou. Além deste novo contrato para os próximos dois anos com a Pfizer, a presidente da Comissão disse que outros poderão ser celebrados com outros laboratórios. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.