Escolha as suas informações

Transporte da futura vacina contra a covid-19 já está a ser pensado
Sociedade 2 min. 18.11.2020

Transporte da futura vacina contra a covid-19 já está a ser pensado

Transporte da futura vacina contra a covid-19 já está a ser pensado

Photo: Chris Karaba
Sociedade 2 min. 18.11.2020

Transporte da futura vacina contra a covid-19 já está a ser pensado

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
No Luxemburgo, o Findel ainda não adianta pormenores mas diz-se preparado para a logística que vai envolver o transporte da vacina contra o coronavírus.

Com os testes para a vacina contra a covid-19 a serem realizados em tempo recorde e os países a desembolsarem milhões em doses, a tão esperada "luz verde" para a vacinação em massa deverá estar para breve. Mas há um pormenor importante a ter em conta: como a vacina vai chegar até nós?

De acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), citada pelo Paperjam, serão necessários 8 mil aviões de carga 747 para levar a vacina aos 7,8 mil milhões de habitantes do planeta. As temperaturas também variam  com a vacina Pfizer a ser armazenada entre os -70 e -80°C, e a Moderna entre os -20 e 8°C. Contas feitas, será preciso muito trabalho de articulação entre países e aeroportos.  

Na Europa, alguns aeroportos já estão a agilizar as questões de logística. Em França, tudo indica que o transporte seja realizado através do aeroporto Roissy-Charles de Gaulle, que transportou mais de dois milhões de toneladas de mercadorias em 2018, de acordo com a RTL.  O Governo francês também já garantiu a compra de 50 supercongeladores para armazenar as vacinas.

Na Bélgica, o aeroporto Bruxelas-Zaventem deverá ser o ponto de recolha, uma vez que chega a transportar 500 mil toneladas de mercadorias e tem uma área de 30.000m² com temperatura controlada. 

No Luxemburgo, o Findel está a acompanhar todos os processos mas não adianta muito. "De momento não há informação suficiente disponível sobre vacinação e necessidades logísticas para avançar", foi divulgado em comunicado.  

Mas o aeroporto do Grão-Ducado parece estar preparado para qualquer eventualidade. "O aeroporto do Luxemburgo e os vários operadores de transporte de mercadorias são bem experientes no transporte de mercadorias sensíveis à temperatura, tais como alimentos perecíveis e produtos farmacêuticos. Além disso, o centro de carga do aeroporto tem um espaço farmacêutico dedicado e certificado", pode ler-se. Uma "outra vantagem significativa da infraestrutura de carga do Findel é a curta viagem de outros pontos europeus, permitindo uma transferência rápida e segura de mercadorias, especialmente de produtos farmacêuticos".  

A Cargolux também já veio confirmar que vai participar no esforço global para entregar a vacina. "A companhia aérea tem uma solução de transporte dedicada a produtos farmacêuticos e de saúde, a CV Pharma, que cumpre integralmente as normas rigorosas exigidas, incluindo para o transporte de vacinas", disse o seu  porta-voz ao Paperjam. 

"A nossa frota de cargueiros Boeing 747-400 e 747-8 oferece quatro zonas de temperatura controladas independentemente que permitem o transporte de diferentes tipos de carga no mesmo voo com temperaturas constantes em cada zona. Além de contentores especializados para o transporte de produtos farmacêuticos sensíveis à temperatura, incluindo vacinas, a companhia aérea, em cooperação com o seu parceiro Dupont, desenvolveu também um cobertor térmico para melhorar a estabilidade da temperatura durante todo o transporte", adiantou. 

Em abril, a Cargolux fez chegar 768 toneladas de equipamento médico ao Luxemburgo, o equivalente a 10 cargueiros Boeing 747. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Aeroporto do Findel já foi reaberto
O aeroporto do Findel já está novamente reaberto, depois de um problema técnico ter impedido esta tarde, durante cerca de uma hora, a aterragem e descolagem dos aviões.