Escolha as suas informações

Transfronteiriços tiram a máscara nos transportes em França, mas voltam a pôr no Luxemburgo
Sociedade 4 min. 16.05.2022
Covid-19

Transfronteiriços tiram a máscara nos transportes em França, mas voltam a pôr no Luxemburgo

Os trabalhadores que todos os dias atravessam a fronteira para o Luxemburgo têm de voltar a colocar a máscara assim que entram no país.
Covid-19

Transfronteiriços tiram a máscara nos transportes em França, mas voltam a pôr no Luxemburgo

Os trabalhadores que todos os dias atravessam a fronteira para o Luxemburgo têm de voltar a colocar a máscara assim que entram no país.
Foto: AFP
Sociedade 4 min. 16.05.2022
Covid-19

Transfronteiriços tiram a máscara nos transportes em França, mas voltam a pôr no Luxemburgo

Tiago RODRIGUES
Tiago RODRIGUES
A partir desta segunda-feira, a máscara deixa de ser obrigatória nos transportes públicos em França. No entanto, os trabalhadores que todos os dias atravessam a fronteira para o Luxemburgo têm de voltar a colocá-la assim que entram no país. Alemanha e Bélgica também mantêm o uso obrigatório nos transportes.

Esta segunda-feira, 16 de maio, marca o fim da última grande restrição da covid-19 no espaço público em França: o fim da máscara nos transportes públicos. A decisão que confirma que a doença se tornou menos preocupante do ponto de vista sanitário e político, mais de dois anos após o início da pandemia na Europa.

Até agora, o uso de máscaras era obrigatório no metro, autocarros, comboios, aviões e táxis. O fim desta restrição pode ser um alívio para muitas pessoas que todos os dias utilizam os transportes públicos, mas para os trabalhadores que atravessam a fronteira para o Luxemburgo "as regras não mudaram", lembrou Tom Ewert, responsável de comunicação dos CFL, em declarações à RTL.

"A lei ainda prevê o uso de máscaras nos transportes públicos. Isto significa que a máscara continua a ser obrigatória para todos nos transportes públicos no Luxemburgo", reforçou. Assim, os transfronteiriços que vêm de França deverão voltar a colocar a máscara assim que passam a fronteira. 


Máscara poderá deixar de ser obrigatória nos transportes públicos em breve
O diretor da Saúde continua a defender, no entanto, a importância das medidas covid-19 ainda em vigor nos hospitais e lares.

No caso dos outros países que fazem fronteira com o Grão-Ducado - Alemanha e Bélgica - o uso da máscara nos transportes públicos continua também a ser obrigatório. "Cada Estado é soberano sobre o seu território. O governo francês decidiu deixar de tornar as máscaras obrigatórias, enquanto os governos luxemburguês e alemão as mantêm. Assim, uma vez atravessada a fronteira, os passageiros devem voltar a colocar as suas máscaras", explicou à RTL um responsável de comunicação da empresa ferroviária francesa SNCF.

Os trabalhadores transfronteiriços que apanham um comboio regional TER ou um autocarro RGTR terão de ter essa preocupação, mas a SNCF compromete-se a fazer anúncios a bordo dos comboios para lembrar os passageiros no momento em que atravessam a fronteira.

Já a CFL garante que não fará quaisquer verificações adicionais. "Se os nossos controladores se depararem com alguém sem máscara, pedem-lhes que a usem e a maioria das pessoas cumpre. É uma questão de respeito", afirmou Tom Ewert. Assim que saem dos transportes, os passageiros podem tirar a máscara.

Apesar de a pandemia estar em declínio em França, "os indicadores virológicos permanecem elevados", advertiram as autoridades de Sáude na passada sexta-feira. O Governo francês mantém um tom cauteloso: o uso de máscara continua a ser "recomendado" e poderá voltar a ser obrigatório se o contexto o impuser.

Várias outras medidas anti-covid permanecem em vigor: o passe de saúde, que requer vacinação ou teste negativo, ainda é necessário para entrar num estabelecimento de saúde ou semelhante (hospitais, lares de idosos, entre outros).


Estes 15 países, incluindo o Luxemburgo, continuam a exigir máscaras nos voos
A partir de segunda-feira, 16 de maio, deixam de ser recomendadas máscaras em voos e aeroportos da UE.

Luxemburgo, Bélgica e Alemanha mantêm obrigação

Os países vizinhos de França, como o Luxemburgo, Bélgica e Alemanha, já levantaram a maior parte das restrições, mas continuam a exigir o uso de máscara nos transportes públicos e em certos lugares.

Portugal e Espanha, por exemplo, ainda exigem o uso de máscara em instalações de cuidados de saúde, casas de repouso e transportes, enquanto na Bélgica só é obrigatório nos transportes. Já na Alemanha, além da máscara, também é exigido um teste negativo para ir ao hospital.

A Itália é agora o país onde a máscara ainda é mais exigida. Além dos lugares acima mencionados, a Itália ainda exige máscara em cinemas, teatros e salas de concertos, nas escolas, para os funcionários das lojas e funcionários do Governo que estão em contacto com o público. O passe de vacinação continua obrigatório para instituições de cuidados de saúde e lares de idosos.


Máscara deixa de ser obrigatória em voos da Luxair para o Luxemburgo
Medida entra em vigor a partir de segunda-feira, 16.

Máscara obrigatória nos voos com partida do Luxemburgo

Também a partir desta segunda-feira, as máscaras deixaram de ser recomendadas em aeroportos e voos europeus por parte da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) e o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), numa altura em que estas deixam de ser obrigatórias em muitos Estados-membros da UE e em algumas companhias aéreas.

No Luxemburgo a máscara não é obrigatória dentro do aeroporto, mas terá de ser usada em voos com origem no país. No caso da Luxair, nos voos com destino ao Luxemburgo esta deixa de ser imposta a partir desta segunda-feira, 16 de maio.

A Luxair informou que a partir desta segunda-feira os passageiros não têm de usar máscaras nos aviões da companhia com destino ao Luxemburgo, mas também com destino a países que assim o permitem. Nos voos em direção a Portugal, o uso da máscara continua a ser obrigatório, tanto no avião, como no aeroporto em território português.

(Com AFP)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A partir de segunda-feira, a SNCF retoma várias ligações ao Grão-Ducado com 118 TER entre Metz e o Luxemburgo. Alguns são exclusivos aos trabalhadores da saúde.