Escolha as suas informações

Solidariedade Luxemburgo - Cabo Verde escreve-se em forma de cruz

Solidariedade Luxemburgo - Cabo Verde escreve-se em forma de cruz

Foto: Henrique de Burgo
Editorial Sociedade 3 min. 09.01.2019

Solidariedade Luxemburgo - Cabo Verde escreve-se em forma de cruz

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Hoje, quarta-feira, Jordan Lima deveria recomeçar o trabalho na empresa de entrega de refeições ao domicílio Tommy's box, depois das férias em Cabo Verde. Mas isso não vai acontecer, porque deverá estar ainda internado, em estado grave, algures numa cama do hospital da ilha de São Vicente.

Depois de ter batido com a cabeça numa pedra, durante um mergulho no passado domingo, o jovem de origem cabo-verdiana ficou com a medula espinal afetada e corre o risco de ficar paralisado. 

A notícia, avançada esta terça-feira pelo jornal gratuito l'essentiel e retomada pelo Contacto, dá conta das dificuldades financeiras da família para conseguir os 40 mil euros de transporte urgente de repatriamento de Jordan Lima até ao Luxemburgo. O jovem, que estava de férias desde 19 de dezembro na terra dos pais, não tinha seguro de viagem. 

Numa corrida contra o tempo, todas as ajudas são boas. Como seria de esperar, o primeiro gesto veio do seu entorno. O seu educador na estrutura de acolhimento para jovens em Esch-sur-Alzette e responsável da Associação Luxemburguesa de Street Soccer (ALSS), Domenico Laporta, lançou um apelo nas redes sociais para juntar dinheiro para financiar o transporte. Em poucas horas, família, amigos e a empresa onde trabalha juntaram cerca de cinco mil euros. Saber que "houve pessoas a contribuir para ajudá-lo dá-me a esperança numa sociedade solidária", escreveu Domenico Laporta numa publicação na sua página de Facebook. É a chamada solidariedade horizontal. 

Depois veio a solidariedade vertical. De cima para baixo, das autoridades para os que mais precisam. A Caixa Nacional de Saúde teve conhecimento do caso e, em conjunto com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Caixa Mutualista Médico-Cirúrgica (CMCM na sigla francesa), garantiu uma ajuda excecional para repatriar Jordan Lima. Uma informação confirmada esta tarde ao Contacto pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, sem adiantar mais detalhes sobre o caso. Sem saber qual o atual estado de saúde do jovem e onde se encontra neste momento, ficou o gesto e exemplo vindo de cima e que continua a alimentar uma onda de aprovação nas redes sociais.

Um drama que, por motivos inesperados e indesejáveis, acaba por resumir a relação que o Luxemburgo tem para com Cabo Verde: em forma de cruz. Horizontal e vertical. 

A imagem é explicada pelo sociólogo francês Jean Louis laville, especialista sobre o tema das inovações sociais e autor de várias obras sobre movimentos associativos, entre as quais "A economia ­social e solidária" (2016). "A solidariedade horizontal consiste na auto-organização dos indivíduos para a solução dos problemas comuns (associações, sindicatos…). A solidariedade vertical consiste na ação compensadora do Estado. Ao impedir que as desigualdades se perpetuem". 

Essa solidariedade vertical vem à tona quando a ajuda do Estado luxemburguês faz diferença junto da população em Cabo Verde e junto dos cabo-verdianos no Luxemburgo, seja através de uma ajuda excecional de repatriamento, seja através dos milhões de euros que a cooperação luxemburguesa emprega no arquipélago com a construção de estradas, escola de hotelaria, centro de energias renováveis e manutenção industrial, projetos de saneamento e desenvolvimento sustentável, apoio ao orçamento de Estado e diversos protocolos, que cimentam uma cooperação que começou na década de 80 do século passado. 

Na horizontal, a solidariedade é também visível quando associações, escolas, ONG ou particulares ajudam os cabo-verdianos seja através da recolha de fundos, como começou a ser feito de forma espontânea para ajudar Jordan Lima, seja através outros projetos de solidariedade, formação de sindicalistas ou outras iniciativas, que estiveram na génese da cooperação entre os dois países.


Luxemburgo vai pagar regresso de jovem ferido com gravidade em Cabo Verde
Jordan Lima, 22 anos, estava a passar férias em Cabo Verde, terra dos pais, quando embateu com a cabeça numa pedra, no domingo, durante um mergulho. Internado em estado grave e sem seguro de viagem para garantir o regresso ao Grão-Ducado, onde reside, o governo luxemburguês assumiu as despesas do repatriamento, que terá lugar nas próximas horas.

E porque perdura esta "amizade" com Cabo Verde? "Os cabo-verdianos no Luxemburgo contribuíram para o desenvolvimento da economia do nosso país. Com isso, é normal que sejamos nós também a ajudar Cabo Verde. (...) A comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo é extraordinariamente bem integrada. Estamos contentes por ter os cabo-verdianos entre nós, porque não somente trazem o sol de Cabo Verde, mas esta maravilhosa forma de vida", disse o Grão-Duque Henri ao Contacto durante a visita oficial a Cabo Verde, em 2015. 

Apesar de alguns problemas mais recentes, ligados a rivalidades entre grupos de jovens, os cabo-verdianos continuam a ser bem vistos no Luxemburgo, como demonstra o apoio do Estado ao repatriamento de um jovem de origem cabo-verdiana que também trabalha e contribui para desenvolver a economia do Luxemburgo. 


Notícias relacionadas

Grão-Ducado dá 3,8 milhões para criar centro de competências em Cabo Verde
O Grão-Ducado e Cabo verde assinaram esta terça-feira, na cidade do Luxemburgo, um acordo de parceria que visa a criação do primeiro centro de competências em Cabo Verde. Orçado em quatro milhões de euros, o projeto vai ser financiado pelo Luxemburgo, com 3,8 milhões de euros, e por Cabo Verde, com os restantes 200 mil euros.
19.6. Contacto / Signature Accord Cap Vert / Ministres Tavares et Schneider Foto:Guy Jallay