Escolha as suas informações

Segundo a Pastoral Familiar do Luxemburgo: Um terço dos casamentos de portugueses são mistos
Sociedade 3 min. 18.02.2015 Do nosso arquivo online

Segundo a Pastoral Familiar do Luxemburgo: Um terço dos casamentos de portugueses são mistos

Um terço de casamentos portugueses é misto, diz a pastoral familiar do Luxemburgo

Segundo a Pastoral Familiar do Luxemburgo: Um terço dos casamentos de portugueses são mistos

Um terço de casamentos portugueses é misto, diz a pastoral familiar do Luxemburgo
Shutterstock
Sociedade 3 min. 18.02.2015 Do nosso arquivo online

Segundo a Pastoral Familiar do Luxemburgo: Um terço dos casamentos de portugueses são mistos

Dos 114 casamentos de portugueses celebrados em 2013 no Luxemburgo, 78 uniões (68%) foram entre pessoas da mesma nacionalidade e apenas 36 (31%), foram matrimónios mistos, segundo dados divulgados pela Pastoral Familiar luxemburguesa.

Dos 114 casamentos de portugueses celebrados em 2013 no Luxemburgo, 78 uniões (68%) foram entre pessoas da mesma nacionalidade e apenas 36 (31%), foram matrimónios mistos, segundo dados divulgados pela Pastoral Familiar luxemburguesa (FAPA).

Com os casamentos de luxemburgueses aconteceu o oposto: a maioria optou por um casamento misto. Dos 1.597 casamentos de luxemburgueses celebrados em 2013, 899 foram com nubentes de nacionalidades diferentes. Só em 698 uniões os dois cônjuges eram luxemburgueses.

Do total de casamentos contraídos em 2013 no Grão-Ducado – 1.722 –, 55% foram entre nubentes de nacionalidade diferente.

Os casamentos de luxemburgueses representaram 92%, seguidos dos portugueses, com 6,6%, e dos franceses (2,2%). Só depois vêm os italianos e outras nacionalidades.

Cerca de 351 uniões (20%) foram celebradas pela Igreja Católica.

Anny Hesius, responsável pelos cursos de formação para o casamento da Pastoral Familiar luxemburguesa (FAPA)
Anny Hesius, responsável pelos cursos de formação para o casamento da Pastoral Familiar luxemburguesa (FAPA)
Patricia Marques

“As pessoas continuam a querer casar-se pela Igreja, apesar da percentagem de 60% de divórcios na sociedade”, diz a socióloga Anny Hesius, animadora dos cursos de formação para o matrimónio que a Pastoral Familiar luxemburguesa (FAPA) propõe.

“Normalmente, os sacerdotes aconselham os noivos a frequentar uma formação de preparação para o matrimónio e reencaminham-nos para nós. Dispomos de uma equipa de cerca de 100 voluntários de várias nacionalidades, espalhados pelo país para o fazer”, explica a responsável.  

A preparação para o casamento religioso existe há mais de 25 anos no Grão-Ducado e desde há vários anos é possível frequentar estes cursos também em português, graças a oito formadores lusófonos. A formação pode ser feita igualmente em francês, italiano, inglês e luxemburguês.

“Há pessoas para quem o casamento é a prenda de uma vida em comum. Temos um casal cabo-verdiano que casou recentemente aos 50 anos de idade e que referia que nesta etapa da vida dispõem dos meios financeiros para poder organizar uma grande e bela festa, na presença dos seus filhos”, conta Anny Hesisus.

Dores Borges e o marido António são dois dos formadores portugueses. “Queremos passar  uma mensagem de esperança, de futuro, da relação de um casal forte que somos. Hoje, o matrimónio está um pouco banalizado. Queremos testemunhar que, com a força do amor, tudo se pode suportar e ultrapassar. Aliás, o amor é como uma flor de jardim, precisa de frescura e de ser regada para viver”, dizem.

A irmã Perpétua (à esquerda), António e Dores Borges fazem parte da equipa de formadores dos cursos de preparação para o matrimónio
A irmã Perpétua (à esquerda), António e Dores Borges fazem parte da equipa de formadores dos cursos de preparação para o matrimónio
Foto: Patrícia Marques

Os cursos de preparação para o matrimónio abordam sobretudo a comunicação no casal, o que para a FAPA é muito importante. “Queremos que o casal seja uma unidade, se sabem comunicar e também sublinhamos as diferenças entre homem e mulher, tantas vezes alvo de disputa. Ouvimos os testemunhos do casal, como vivem a fidelidade, e ambos podem colocar questões”, explica Anny Hesius.

Os noivos podem escolher entre vários horários: aos sábados, das 15h às 22h, e aos domingos, das 9h às 18h, em Esch-sur-Alzette, mediante uma taxa de participação. Há também sessões de um dia, entre as 9h e as 18h, igualmente com taxa de participação.

As inscrições devem ser feitas com dois a três meses de antecedência, no Centro Jean XXIII (52, rue Jules Wilhelm), na cidade do Luxemburgo, pelo tel. 43 60 51-355 (de segunda a sexta, 9h30-12h, 14h-16h30), ou por e-mail (fapa@cathol.lu). Mais informações no site da FAPA (www.fapa.lu).

Patrícia Marques / Rda


Notícias relacionadas