Escolha as suas informações

Saiba onde encontrar produtos portugueses em todo o mundo
Sociedade 2 min. 17.03.2022
Diáspora

Saiba onde encontrar produtos portugueses em todo o mundo

Diáspora

Saiba onde encontrar produtos portugueses em todo o mundo

Foto: Shutterstock
Sociedade 2 min. 17.03.2022
Diáspora

Saiba onde encontrar produtos portugueses em todo o mundo

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Rede Global da Diáspora apresentada aos empresários portugueses do Luxemburgo.

Imagine que chegou a Paris e apetece-lhe comer bacalhau. Para descobrir os restaurantes que servem este prato basta ir ao site da Rede Global. Ou chegou ao Canadá e quer comer um pastel de nata. Ou quer saber onde encontrar café português no Luxemburgo. Basta um clique nesta plataforma, a maior rede colaborativa da diáspora portuguesa, para encontrar os locais onde se vendem produtos portugueses em todo o planeta.

Estima-se que haja 5,7 milhões de portugueses no planeta. Esta Rede Global da Diáspora tem como objetivo criar "uma plataforma que ligue todos os portugueses que estão espalhados pelo mundo2, explica Paulo Dinis, diretor-executivo da Fundação AEP que criou esta iniciativa. Neste momento já há portugueses inscritos em mais de 125 países, e mais de 10 mil empresas registadas nesta plataforma. Agora é hora de passar “para uma colaboração no setor dos negócios na rede global da diáspora que além de unir os portugueses pretende fazer negócios globais, ativando a marca Portugal, dando a conhecer produtos portugueses em todo o mundo”. 


Esta plataforma quer levar aos emigrantes o melhor que se produz em Portugal
Promovida pela Associação Empresarial de Portugal, esta plataforma permite aos portugueses que vivem fora do país estabelecer novos contactos, fazer novos negócios ou saber como investir em Portugal.

"Através do portal negócios da diáspora pretende-se acelerar negócios em português, facilitando o processo de exportação de produtos portugueses através da diáspora, mas também promover negócios de expatriados em Portugal, através de investimentos", explica.  Para o futuro esperam um "aumento dos negócios extraordinário, porque há vontade dos portugueses que estão fora do seu país de negociar com Portugal", justifica Paulo Dinis. A plataforma disponibiliza ainda ofertas de emprego, oportunidades de investimento de negócios e de imobiliário. 

O que falta para a concretização deste espaço de negócios da diáspora portuguesa?


Empresários portugueses da diáspora criam federação europeia com mais de 100 mil empresas
Comunidade empresarial portuguesa do Luxemburgo está representada na federação, que foi apresentada oficialmente ontem, na Embaixada de Portugal em Paris.

"Falta acertar o processo de comunicação, porque existe uma burocracia em Portugal que é um grande obstáculo ao negócio", porque os países 2mais evoluídos onde estão só nossos imigrantes simplificam os processos que são complicados em Portugal", responde Paulo Dinis.


Luxemburgo é porta de entrada para mercado de 12 milhões de consumidores

António Gamito, Embaixador de Portugal no Luxemburgo
António Gamito, Embaixador de Portugal no Luxemburgo
Foto: António Pires

Esta iniciativa "é muito importante para aproximar a comunidades portuguesa e mapear as empresas da diáspora para que possam contactar com empresas portuguesas", afirmou António Gamito, embaixador de Portugal no Luxemburgo. Os empresários têm que "deixar de olhar para o Luxemburgo como um pequeno país, mas como um hub que funciona como porta de entrada para a Grande Região que tem mais de 12 milhões de potenciais consumidores", sublinhou na sessão de apresentação da Rede Global da diáspora no Luxemburgo. Uma iniciativa que decorreu no Centro Cultural Português – Camões IP . 

Durante a sessão foi ainda apresentado o Clube de Negócios do Luxemburgo que pretende "agregar os empresários portugueses no Luxemburgo que estão demasiados isolados", explicou José Campinho, promotor da iniciativa.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Ao final do dia de ontem, sábado, tinham passado quatro mil visitantes pelo certame que tem por objetivo dar a conhecer mais do que os produtos gastronómicos portugueses, os serviços e recursos de Portugal.