Escolha as suas informações

Saiba como concorrer às universidades e politécnicos em Portugal
Sociedade 3 min. 14.11.2019

Saiba como concorrer às universidades e politécnicos em Portugal

Saiba como concorrer às universidades e politécnicos em Portugal

Foto: Pixabay
Sociedade 3 min. 14.11.2019

Saiba como concorrer às universidades e politécnicos em Portugal

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Conheça todas as regras para canditar-se ao ensino superior português através do contigente especial para emigrantes.

Quem pode concorrer no contingente dos emigrantes?

Podem concorrer emigrantes portugueses que tenham residido durante, pelo menos, dois anos num país estrangeiro, onde tenham exercido atividade remunerada, ou familiares de emigrante português que, com ele tenha vivido, por período não inferior a dois anos e não tenha mais de 25 anos. Podem, também, candidatar-se os emigrantes que tenham regressado a Portugal, desde que a candidatura seja apresentada no prazo máximo de três anos,após o regresso a Portugal.

Como pode um emigrante concorrer ao ensino superior português?

O candidato tem que apresentar a candidatura no site da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES). Deverá fazer uma inscrição prévia na plataforma de candidatura online, indicando: o número de identificação, nome, e-mail que pretende utilizar e local de entrega do pedido (escola secundária ou Gabinete de Acesso ao Ensino Superior). De seguida deverá receber um link de confirmação. Terá que imprimir o recibo de confirmação e entregar junto da escola secundária ou do Gabinete de Acesso ao Ensino Superior que indicou. Caso o candidato seja menor o recibo deverá ser assinado pelo respetivo encarregado de educação. Após validação do pedido é-lhe enviada uma senha para o endereço eletrónico indicado.

Os exames do Luxemburgo são válidos para concorrer?

Terá que consultar a deliberação que todos os anos é publicada pela Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES) na deliberação 20 a do acesso ao ensino superior.

Se os exames feitos no Luxemburgo não forem reconhecidos, terá que vir a Portugal fazer os exames finais do ensino secundário português. Neste caso, deverá solicitar a emissão da ficha pela escola secundária onde realizou as provas. Se os exames luxemburgueses forem aceites pelas instituição de ensino superior portuguesa a que quer concorrer, deverá solicitar a substitutição das provas de ingresso pelos exames do ensino secundário estrangeiro que realizou no Luxemburgo, junto de uma Escola secundária ou na DGES.

Como pedir equivalência do secundário luxemburguês?

Todos os estudantes que queiram concorrer e que tenham concluído o secundário no Luxemburgo terão que solicitar um certificado de equivalência ao ensino secundário português. Um processo que deverá ser solicitado numa escola secundária portuguesa ou na DGES. Este processo poderá demorar um mês a estar concluído, por isso deve ser pedida uma resposta com carácter de urgência, para que possa respeitar os prazos na entrega da candidatura. O pedido de equivalências pode ser apresentado junto do Posto Consular ou Embaixada da respetiva área de residência que o remeterá para a Direção- Geral da Educação (DGE) para decisão superior e posterior comunicação da equivalência à Direção–Geral do Ensino Superior (DGES) .

Que bolsas de estudo são dadas pelo Estado luxemburguês?

A ajuda do Estado luxemburguês é composta por quatro bolsas diferentes. "O estudante que seja elegível para uma ajuda financeira recebe uma bolsa de 1025 euros, por semestre, automaticamente. A esta bolsa pode juntar uma bolsa de apoio social, que depende do rendimento dos pais. A esta bolsa pode juntar-se uma bolsa de mobilidade para quem estudar fora do Luxemburgo que cobre uma parte das suas despesas. Depois existe uma bolsa familiar, caso tenha um irmão ou irmã a estudar ao mesmo tempo. Há também a comparticipação no pagamento do valor das propinas até 3700 euros. Metade deste valor é pago sob a forma de bolsa e a outra metade através de um empréstimo, que terá que começar a ser pago dois anos depois de terminarem o curso, e num prazo máximo de dez anos. Um empréstimo que é garantido pelo Estado Luxemburguê com uma taxa de juro de 2%" explicou em entrevista ao Contacto, Mirko Mazzie, Inspector da Ajuda Financeira do Ministério do Ensino Superior e da Investigação Científica luxemburguês.

Para conseguir esta ajuda financeira é necessário apresentar uma candidatura em cada semestre, o que pode ser feito integralmente online. 

Quantos estudantes são beneficiados por este sistema de bolsas?

Cerca de 32 mil estudantes receberam, este ano, esta ajuda financeira. Estas bolsas de estudo são atribuídas durante a duração seu ciclo de estudos, mais dois anos de bónus. Para além da licenciatura, estas bolsas de estudo abrangem o mestrado e o doutoramento. Depois de terminarem o seu curso, se pretenderem tirar um segundo curso também têm direito a esta ajuda financeira. 


Notícias relacionadas