Escolha as suas informações

Reembolso. "Ou se compra comida ou se vai ao psicólogo"
Sociedade 2 min. 26.09.2022
Petição

Reembolso. "Ou se compra comida ou se vai ao psicólogo"

Petição

Reembolso. "Ou se compra comida ou se vai ao psicólogo"

Foto: Shutterstock
Sociedade 2 min. 26.09.2022
Petição

Reembolso. "Ou se compra comida ou se vai ao psicólogo"

Florian JAVEL
Florian JAVEL
Depois de reunir 5.514 assinaturas numa petição lançada em abril, a portuguesa Paula Antunes Quinteira levou o reembolso da psicoterapia ao parlamento.

"Ou se compra comida ou se gasta dinheiro em apoio psicológico. Muitas pessoas são confrontadas com uma escolha". A portuguesa Paula Antunes Quinteira, de 49 anos, foi confrontada com este dilema, que deu origem a uma petição criada pela própria, onde pede o reembolso dos custos da psicoterapia pela Caixa Nacional de Saúde (CNS). 

Há cinco anos, esta mãe de três filhos perdeu o marido devido a um cancro e procurou apoio psicológico.


Reembolso psicoterapia. CNS avança para procedimento de mediação com Fapsylux
Apesar da profissão de psicoterapeuta ser reconhecida, as consultas não são ainda comparticipadas.

Quando a filha começou a sofrer de bullying na escola, que afetava cada vez mais a sua saúde mental, Paula teve de tomar uma decisão: "A minha filha também precisava de apoio psicológico, mas eu não podia pagar por duas pessoas sem qualquer reembolso. Por isso desisti do meu e fiquei sozinha com os meus problemas para não continuar a ver a minha filha sofrer".

Após ter recolhido 5.514 assinaturas em maio, a petição 2309 por lançada por esta portuguesa foi debatida pelos deputados no Parlamento na sexta-feira.  

Ministro defende solução rápida 

No debate, o ministro da Segurança Social, Claude Haagen, ressalvou a distinção entre psicoterapeutas e psicólogos. E relembrou  as negociações entre a Federação das Associações de Psicoterapeutas do Luxemburgo (Fapsylux) e a CNS, que decorrem desde 2017, e que fracassaram no início de setembro deste ano. 

Entretanto, foi convocado um procedimento de mediação.


Psicoterapeutas querem que crianças e idosos também sejam reembolsados
A idade dos pacientes que têm direito à comparticipação das consultas não reúne consenso.

No entanto, a Fapsylux anunciou na sexta-feira passada que não tinha participado na primeira reunião de mediação, dado que pretendia examinar a base legal do procedimento até à próxima semana. Claude Haagen ainda espera ajudar a Fapsylux e a CNS a encontrar uma solução rápida e garantiu que vai intensificar esforços nesta matéria. 

Para os psicólogos, em quem a petição 2309 se concentra, a situação é diferente: "Ao contrário dos psicoterapeutas, teríamos ainda de definir o que é um psicólogo e que tipo de serviço médico ele ou ela oferece", explica Haagen. Por enquanto, continua a faltar o quadro legal, o que torna impossível, para já, que a CNS abranja o acompanhamento psicológico.

(Este artigo foi originalmente publicado na edição alemã do Luxemburger Wort.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas