Escolha as suas informações

Quantas mais mulheres têm de morrer?
Opinião Sociedade 09.10.2022
O poder das mulheres

Quantas mais mulheres têm de morrer?

O poder das mulheres

Quantas mais mulheres têm de morrer?

Foto: Shutterstock
Opinião Sociedade 09.10.2022
O poder das mulheres

Quantas mais mulheres têm de morrer?

Madalena QUEIRÓS
Madalena QUEIRÓS
Para que as autoridades públicas façam alguma coisa para acabar com este flagelo do feminicídio, quantas mais mulheres terão de morrer?

O caso macabro da morte de Diana Santos chocou a opinião pública. Será mais um episódio negro na longa lista de mulheres que morrem vítimas de violência doméstica?

Em apenas três semanas, duas mulheres foram assassinadas de uma forma brutal no Luxemburgo. Há cerca de três semanas, o corpo de uma portuguesa de 40 anos foi encontrado desmembrado na fronteira francesa. 


Diana Santos tinha 40 anos e vivia no Luxemburgo.
Dois feminicídios em três semanas. Déi Lénk reivindica quadro legal
O partido lamenta que o feminicídio, ou seja, o homicídio de uma mulher devido ao seu género, não esteja mencionado no código penal luxemburguês.

Na terça-feira, conheceu-se o caso de uma jovem de 20 anos, que foi violentamente agredida pelo marido com um martelo, no bairro da Gare. O filho de cinco meses estava no apartamento na altura do homicídio.

Estima-se que a polícia é chamada a intervir em casos de violência doméstica três vezes por dia no Grão-Ducado.

As autoridades anunciam que o número de notificações diminuiu no ano passado, mas estes crimes foram a causa de 917 intervenções policiais. Em 249 casos, foi decretado despejo. No ano passado, foram noticiadas 1.697 vítimas de violência durante estas intervenções. 


Quem é o principal suspeito do homicídio de Diana Santos?
De nacionalidade marroquina é o tio do homem com quem Diana vivia em Diekirch.

A violência contra elas tem muitas facetas, como ilustram as últimas estatísticas do Statec: dois terços das mulheres no Luxemburgo dizem ter sido vítimas de violência física, psicológica, sexual ou económica pelo menos uma vez na sua vida. Uma mulher em cada duas sofreu violência psicológica e uma em cada três foi agredida fisicamente.

Os números são assustadores. Todos os anos morrem 66 mil mulheres de uma forma violenta no mundo, o que representa 17% de todas as vítimas de homicídios.

A violência dirigida a mulheres acontece cada vez mais cedo. A Organização Mundial da Saúde revela que 25% das adolescentes e jovens, de 15 a 24 anos, já foram vítimas da violência de género. 

As mulheres vivem em perigo 24 horas por dia, e os feminicídios bárbaros são um problema grave motivado pelo sentimento machista de posse, considerando que mais de 50% dos feminicídios são praticados por homens insatisfeitos com o fim do relacionamento.

Quantas mais mulheres têm de morrer para que se faça alguma coisa?

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas