Escolha as suas informações

Quando for grande quero ser YouTuber
Opinião Sociedade 3 4 min. 23.10.2021
Internet

Quando for grande quero ser YouTuber

Numeiro é um rapaz de Barcelos que se tornou famoso na internet, incluindo no YouTube.
Internet

Quando for grande quero ser YouTuber

Numeiro é um rapaz de Barcelos que se tornou famoso na internet, incluindo no YouTube.
Foto: Instagram/Numeiro
Opinião Sociedade 3 4 min. 23.10.2021
Internet

Quando for grande quero ser YouTuber

António Raúl VAZ PINTO DA CUNHA REIS
António Raúl VAZ PINTO DA CUNHA REIS
Conhecem o Numeiro? Quem conhece e esteja a preparar-se para reagir mal, acalme-se por favor. Eu simplesmente coloco a questão porque nós, emigrantes, nem sempre acompanhamos a atualidade portuguesa. Falo por mim: todos os dias descubro uma nova atriz de telenovela de quem todos me dizem: ela já faz novelas há anos e até entrou num anúncio do Sumol.

Conhecem o Numeiro? Quem conhece e esteja a preparar-se para reagir mal, acalme-se por favor. Eu simplesmente coloco a questão porque nós, emigrantes, nem sempre acompanhamos a atualidade portuguesa. Falo por mim: todos os dias descubro uma nova atriz de telenovela de quem todos me dizem: ela já faz novelas há anos e até entrou num anúncio do Sumol. E depois há o meu sobrinho que tem o cuidado e a diplomacia de começar as frases com estás a ver quem é? Aquele que faz cenas no YouTube e que tem um BM verde...

Ou seja, os famosos são tantos que a gente tem dificuldade em acompanhar. E depois nós, emigrantes, temos várias realidades nacionais para seguir. E quando estamos no Luxemburgo, acrescenta-se à pequena mas animada cena luxemburguesa a atualidade de França, da Bélgica, da Alemanha, ou mais, tudo dependendo das línguas que entendemos. E para complicar a coisa, basta estar casado ou ter um namorado italiano para acrescentar mais um mundo de nomes e pessoas conhecidas.

Voltemos então ao Numeiro. O rapaz é de Barcelos, ou pelo menos é lá que tem a família, e tornou-se famoso no YouTube e noutras plataformas que eu nem sequer utilizo. Hoje em dia não sei como se chama aquilo que o rapaz faz, mas a vida nas redes sociais deve sorrir-lhe já que costuma andar de Ferrari e de Maybach.

Sim, eu sigo o Numeiro. Sigo porque gosto de me enervar. Comecei a segui-lo no Instagram quando, numa tarde ensolarada, o tipo teve uma avaria no carro – acho que rebentou um pneu – e encostou na berma da autoestrada Porto-Lisboa. Nesse dia azarado, o rapaz postou um vídeo a mostrar que ia a cerca de 200 à hora, exibiu-se junto ao carro sem colete amarelo e outras façanhas.

Pior! A GNR, que socorreu o rapaz, decidiu postar e partilhar no Instagram o apoio que deu a alguém que acabava de publicar uma série de infrações. Costuma dizer-se nestes casos: só em Portugal, mas sinceramente acho que noutros países seria possível assistir a casos destes. Não, não somos únicos.

Este verão, estava eu de férias ao sol, quando o Numeiro teve mais um momento mau. Segundo as palavras do próprio (com erros e tudo): “perdi a puta do voo por causa de um erro estupido nas medras de check-in, sem carro ainda por cima, piores 3 dias da minha vida pqp”. Fiquei intrigado. Pensei que o rapaz teria esquecido o teste PCR ou que teria deixado o cartão do cidadão em casa ou que o pai não lhe tivesse dado autorização de viagem, mas fiquei sem saber por que razão o Numeiro ficou em terra, bloqueado no aeroporto de Faro, depois de três dias horríveis. Promessa feita pelo próprio: o Numeiro nunca mais vai para lado nenhum sem carro!

Mas a vida do Numeiro é uma autêntica telenovela. Como um azar nunca vem só, o Numeiro, que precisava de ir para o Porto, tenta alugar um carro no aeroporto de Faro. Infelizmente, os rent-a-cars não confiam carros potentes a menores de 25 anos, o que deixa o miúdo furioso e obrigado a revelar que carros potentes é igual a carros de 180 cavalos, ironiza quem anda de Ferrari, mas que se vê obrigado a alugar um carro menos veloz. Mas o Numeiro não é vaidoso: “não tenho nenhum problema em alugar um carro tipo de gama baixa, eu estou-me a cagar, até ia de comboio, mas o problema é que eu tenho pressa, e se for para ir com um bocado mais de velocidade ao menos vou num carro tipo bom que está preparado para isso para não pôr em risco nem a minha vida nem dos outros”.

Ficamos a saber que o Numeiro se prepara para atravessar Portugal a alta velocidade, como é sem hábito, mas desta vez vai ter ser mesmo num carro tipo pouco potente. Isto era o pior dia da vida do Numeiro, que acabou por ser apenas o mais stressante, disse ele mais tarde, depois de acalmar porque consegui alugar um BM que, infelizmente, só tinha cento e tal cavalos.

A vida pública do Numeiro, como a de muitos influenciadores, é feita de coisas assim. O segredo já não é partilhar só as coisas boas, mas mostrar tudo, ou quase tudo, para estar presente. Sem uma dúzia de stories no Insta por dia o Numeiro é esquecido, já não aparece no feed dos seus seguidores e depois as empresas que lhe pagam, nomeadamente as de jogos online podem baixar o sponsoring. E depois quem é que paga os Ferraris?

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Quem não sabia fica agora a saber: já apanhei a covid-19. Fui buscar o novo coronavírus a Portugal.