Escolha as suas informações

Problemas de orientação, saúde e família na base do abandono escolar no Grão-Ducado
Sociedade 05.10.2021
Estudo/Liser

Problemas de orientação, saúde e família na base do abandono escolar no Grão-Ducado

Estudo/Liser

Problemas de orientação, saúde e família na base do abandono escolar no Grão-Ducado

Foto: AFP
Sociedade 05.10.2021
Estudo/Liser

Problemas de orientação, saúde e família na base do abandono escolar no Grão-Ducado

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Cerca de 1.700 jovens abandonaram a escola no Luxemburgo no passado ano letivo. Liser deixa algumas recomendações ao Governo para combater este problema.

Cerca de 1.700 jovens abandonaram o sistema escolar luxemburguês sem qualquer tipo de diploma no ano letivo 2019/2020. E num estudo feito recentemente pelo Liser, as causas do abandono são múltiplas: problemas de orientação escolar, de saúde, de comportamento ou na família são apontados pelos próprios como estando na origem do corte com a escola. 

O estudo do Instituto Luxemburguês de Investigação Sócio-Económica (Liser), realizado através de entrevistas, questionou os jovens sobre as dificuldades e obstáculos com os quais se viram confrontados no anterior ano escolar. Um dos dados que salta à vista é o facto de muitos dos que abandonaram os estudos terem-no feito por não conseguirem aceder aos estudos inicialmente ambicionados. 

Outros motivos prendem-se com problemas de saúde ou familiares, sendo que nalguns casos, os jovens relataram que necessitavam de um acompanhamento específico que não lhes foi oferecido. Há ainda há um grupo de alunos que abandonaram o sistema de ensino devido a problemas comportamentais e de conflito com os professores.  

Perante os dados, o Liser deixa algumas recomendações ao Governo, nomeadamente um projeto escolar coerente que permite melhorar a orientação profissional dos jovens. O instituto considera também que deve ser dada primazia à mediação com vista a resolver estes problemas, ajudando os jovens a retomar os estudos. 


Abandono escolar com ligeiro aumento no primeiro ano da pandemia
Ao todo, 1.670 alunos deixaram o sistema escolar luxemburguês durante ou no final do passado ano letivo.

Estes resultados surgem numa altura em que o Ministério da Educação equaciona tornar a escolaridade obrigatória até aos 18 anos, mais dois anos que os atuais 16. Mais de um terço dos alunos que desistem da escola no Grão-Ducado têm atualmente entre os 16 e 18 anos.  O ministro da tutela Claude Meisch deverá apresentar ainda este outono um projeto de lei para tornar esta mudança possível, com o objetivo de não deixar os jovens sem uma oportunidade para o futuro. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas