Escolha as suas informações

Polanski. Realizador é de novo acusado de violação
Sociedade 1 2 min. 11.11.2019

Polanski. Realizador é de novo acusado de violação

Polanski. Realizador é de novo acusado de violação

AFP
Sociedade 1 2 min. 11.11.2019

Polanski. Realizador é de novo acusado de violação

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
Fotógrafa e ex-modelo, de 60 anos, garante que o realizador polaco a agrediu sexualmente em 1975. Esta é a mais recente acusação contra Polanski.

Roman Polanski, 81 anos, volta a ser acusado de abuso sexual. Há mais de quatro décadas que o realizador "anda a fugir" da prisão nos Estados Unidos, onde foi condenado pelo crime de violação de uma menor de 13 anos. 

Para evitar ser detido, o realizador vive em França desde 1978, onde continua a fazer filmes (ganhou, em setembro, o Grande Prémio do Júri pelo filme "J´Accuse", no Festiva de Veneza).

Desta vez a acusação foi feita por Valentine Monnier, agora com mais de 60 anos, que é fotógrafa e ex-modelo. Valentine disse ao jornal Le Parisien que foi violada por Polanksi quando tinha 18 anos. 

O abuso sexual terá acontecido quando a jovem passava uma temporada no chalé do próprio realizador em Gstaad, na Suíça.

Hervé Temime, advogado do realizador polaco, disse em comunicado à agência France Presse que "Polanski contesta com a maior firmeza essa acusação de violação" e ainda que o mesmo "não irá participar no tribunal mediático". 

Temime lembra ainda que o alegado caso já está prescrito pelo que "é impossível reunir todos os elementos necessários para uma investigação".

Segundo o jornal francês, a mulher terá decidido tornar pública a sua história devido ao lançamento do filme "J'accuse", que relata a história de um famoso erro judiciário da justiça, do final do século XIX, através de uma acusação errónea ao capitão judeu Alfred Dreyfus. Uma possível comparação com a história da vida real de Polanski?

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Estados Unidos atrás de Polanski há 40 anos

A polícia americana persegue Polanski desde 1977, quando este foi acusado de ter mantido relações sexuais com uma menor de idade, uma adolescente de 13 anos. 

Polanski declarou-se culpado por abuso sexual num acordo judicial que o obrigava a passar 42 dias preso e a passar por uma avaliação psiquiátrica. O realizador fugiu para a Europa e nunca mais pisou solo norte-americano. Há 40 anos que os Estados Unidos tentam extraditá-lo.

Em 2009, Polanski foi detido e colocado em prisão domiciliária durante alguns meses em Zurique, Suíça, onde foi receber um prémio, mas acabou por não ser extraditado.   

Em 2014, o governo dos Estados Unidos tentou obter a detenção de Roman Polanski na Polónia, país visitado pelo cineasta para a inauguração do Museu da História dos Judeus Polacos. O pedido foi rejeitado por uma questão formal, por não ter sido traduzido para polaco.