Escolha as suas informações

Pfizer e BioNTech garantem mais 200 milhões de vacinas à UE em 2021
Sociedade 17.02.2021

Pfizer e BioNTech garantem mais 200 milhões de vacinas à UE em 2021

Pfizer e BioNTech garantem mais 200 milhões de vacinas à UE em 2021

AFP
Sociedade 17.02.2021

Pfizer e BioNTech garantem mais 200 milhões de vacinas à UE em 2021

Lusa
Lusa
As farmacêuticas Pfizer e BioNTech anunciaram hoje terem alcançado um acordo para o fornecimento à União Europeia de 200 milhões de doses suplementares de vacinas contra a covid-19.

A Pfizer, dos Estados Unidos, e a BioNTech, da Alemanha, comunicaram que estas doses se juntam aos "300 milhões (de vacinas) inicialmente encomendadas" pela UE.

A Comissão Europeia tem ainda como prerrogativa a possibilidade de encomendar mais 100 milhões de doses de vacinas contra o SARS-CoV-2. As duas empresas afirmam que as 200 milhões de doses devem ser fornecidas este ano, 75 milhões delas no segundo trimestre de 2021. 


Lokales, Impfzentrum Esch Belval, maison des matériaux, Gebäude Nord Foto: Luxemburger Wort/Anouk Antony
Imunidade de grupo ainda é uma miragem
Sem "influência direta" no mercado e na chegada das vacinas ao Grão-Ducado, o Governo admite que "ainda não é possível apontar uma data" para a imunização de, pelo menos, 70% dos residentes. A Universidade do Luxemburgo diz que é possível fazê-lo em três meses. Basta que 2.700 pessoas sejam vacinadas por dia.

A vacina Pfizer-BioNTech foi a primeira da três aprovadas até ao momento pela União Europeia. As outras duas vacinas são das empresas Moderna e AstraZeneca. 

Bruxelas enfrenta atualmente fortes críticas devido à lentidão da campanha de vacinação no bloco europeu pela falta de coordenação no processo de aquisição de vacinas.

Os atrasos nas entregas por parte das farmacêuticas contribuíram para aumentar a frustração dos Estados-membros.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Bruxelas havia adquirido 200 milhões de doses desta vacina, que contava que fossem administradas até setembro de 2021, tendo agora decidido reservar mais 100 milhões de doses, mesmo contando dispor muito em breve de outras vacinas contra a covid-19, dado ter uma ampla carteira de potenciais vacinas.