Escolha as suas informações

Pessoas que não trabalham aumentaram no Grão-Ducado
Sociedade 2 min. 14.06.2022
Trabalho

Pessoas que não trabalham aumentaram no Grão-Ducado

Trabalho

Pessoas que não trabalham aumentaram no Grão-Ducado

Foto: Meiko Herrmann
Sociedade 2 min. 14.06.2022
Trabalho

Pessoas que não trabalham aumentaram no Grão-Ducado

Diana ALVES
Diana ALVES
"Responsabilidades familiares" são a principal razão que mantém as mulheres fora do mercado de trabalho.

Não são desempregados. São pessoas que, por várias razões, não querem ou não podem trabalhar. Mas não é má vontade, de acordo com a Câmara dos Assalariados. 

Segundo dados do Eurostat compilados pela Câmara dos Assalariados, para a nova edição do estudo Panorama Social, a população inativa residente no Luxemburgo aumentou na última década. Só no ano passado, o país contabilizava 115.200 residentes inativos dos 15 aos 64 anos, mais 8.600 do que em 2010.

De acordo com os dados, mais de metade da população ativa – 55% – diz respeito a mulheres. Mesmo assim, nos últimos dez anos o número de mulheres inativas diminuiu 4%, ao passo que o de homens aumentou 30%.

Independentemente do género, a Câmara dos Assalariados sublinha que “os residentes inativos em idade de trabalhar são-no porque não querem ter um emprego”. Em 2021, era esse o caso da esmagadora maioria, isto é, 75%.

Na análise por grupos etários, os dados divulgados pelo organismo mostram que são essencialmente os jovens e os mais velhos que se encontram nesta situação. A Câmara dos Assalariados sublinha, contudo, que não se trata de “má vontade”. “Estas pessoas encontram-se muitas vezes em situações que as obrigam a permanecer inativas do ponto de vista do mercado de trabalho”. 


Quem quer ser super-mãe?
Se ser uma super-mãe é carregar todo este peso eu passo a vez.

É o caso dos jovens que estão a estudar ou dos mais velhos que já estão reformados. Mais de metade das mulheres dos 25 aos 49 anos não trabalha devido a “responsabilidades familiares”. Esta é principal razão que as mantém fora do mercado de trabalho, seja porque se ocupam dos filhos ou de adultos dependentes. Já a proporção de homens nesta situação era de apenas 20% em 2019.

Olhando para as faixas etárias, os dados mostram que a maior parte dos jovens dos 15 aos 24 não trabalham porque estão a estudar. Já no grupo dos 25-49, há várias razões que explicam o facto de não trabalharem. 

Além daqueles que estão a estudar ou em formação, um em cada cinco homens e uma em cada dez mulheres daquele grupo etário declaram-se doentes ou numa situação de incapacidade para a prestação de trabalho.

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas