Escolha as suas informações

Perto de 400 pessoas na última homenagem a João da Luz

Perto de 400 pessoas na última homenagem a João da Luz

Foto: Adelino Silva
Sociedade 15 2 min. 09.07.2018

Perto de 400 pessoas na última homenagem a João da Luz

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
A comunidade cabo-verdiana fez no sábado a última homenagem ao radialista, jornalista, político e dirigente associativo cabo-verdiano João da Luz, que faleceu na passada segunda-feira. Perto de 400 pessoas estiveram na homenagem e no cortejo com as cinzas, que teve lugar em Roodt-sur-Syre, na sua comuna de residência, Betzdorf.

Numa cerimónia muito emotiva, os familiares lembraram o orgulho que Djony tinha nas suas raízes cabo-verdianas, a amizade e o serviço ao próximo.

O atual burgomestre de Betzdorf, Jean-François Wirtz, destacou o espírito de iniciativa e ações concretas que João da Luz tinha na comuna, enquanto o anterior burgomestre, Edgard Arendt, recordou o seu lado ecologista. João da Luz foi candidato pelo partido ecologista déi Greng (os Verdes) às últimas eleições comunais de outubro de 2017, em Betzdorf.

O embaixador de Cabo Verde, Carlos Semedo, e o presidente da Federação das Associações Cabo-verdianas, Pedro Santos, relembraram ainda o serviço em prol da comunidade e de Cabo Verde. Já o diretor de antena da Rádio Latina, António Torrado, passou em revista o percurso de João da Luz na rádio. Djony fez a sua primeira emissão em crioulo, no ano de 1977, a partir de Bastogne (Bélgica). Três anos depois deu início ao programa Morabeza, que conduziu até 2017.

Estiveram ainda na cerimónia representantes do Conselho Nacional de Estrangeiros, Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes, Comité de Ligação das Associações Estrangeiras, Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo, entre vários líderes associativos

João da Luz, conhecido na comunidade como Djony, afastou-se no último ano da vida associativa e dos microfones do programa Morabeza, da Rádio Latina, por razões de saúde. Djony trocou a ilha cabo-verdiana do Sal pelo Luxemburgo em 1974, com 18 anos e esteve ligado desde cedo ao mundo associativo.

Foi membro fundador de diversas associações e formalmente presidente da Federação das Associações Cabo-verdianas no Luxemburgo até março deste ano, quando foi substituído pelo seu vice-presidente Pedro Santos.

Em 1978, participou no primeiro encontro da Diáspora Cabo-verdiana, em Mindelo, e em 1986 organizou a primeira visita a Cabo Verde de um grupo de dirigentes associativos luxemburgueses, que esteve na origem da cooperação Luxemburgo-Cabo Verde.

Djony foi desde há largos anos o principal dinamizador do programa Morabeza, da Rádio Latina, tendo sido também correspondente do jornal Contacto e do programa Nação Global, da Rádio Nacional de Cabo Verde.

Na vida política, além de destacado ativista, foi representante do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) no Luxemburgo, tendo sido sucedido no cargo por Antão Freitas, em 2011. No Luxemburgo, foi candidato pelo partido déi Greng às últimas eleições comunais (2017) na sua comuna de residência, em Betzdorf.

João da Luz foi homenageado ainda em vida pela comunidade, pelo primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e da Comunidade, Luís Filipe Tavares, em 2016, no Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, na cidade do Luxemburgo.


Notícias relacionadas

Óbito. João da Luz vai ter última homenagem no sábado, em Betzdorf
O corpo do radialista, jornalista, político e dirigente associativo cabo-verdiano João da Luz, que faleceu na segunda-feira, vai ser cremado esta quarta-feira em Hamm, às 13h20, numa cerimónia reservada à família. No entanto, a última homenagem ao carismático líder comunitário vai ser aberta à comunidade, mas no sábado.
João da Luz.