Escolha as suas informações

Percentagem de portugueses que entraram no Luxemburgo diminuiu 12,4% em 2020
Sociedade 29.12.2021 Do nosso arquivo online
Emigração

Percentagem de portugueses que entraram no Luxemburgo diminuiu 12,4% em 2020

Relatório conclui que a perda da imigração portuguesa no Luxemburgo tem vindo a acentuar-se entre 2003 e 2020.
Emigração

Percentagem de portugueses que entraram no Luxemburgo diminuiu 12,4% em 2020

Relatório conclui que a perda da imigração portuguesa no Luxemburgo tem vindo a acentuar-se entre 2003 e 2020.
Foto: dpa
Sociedade 29.12.2021 Do nosso arquivo online
Emigração

Percentagem de portugueses que entraram no Luxemburgo diminuiu 12,4% em 2020

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
A percentagem de portugueses que chegaram ao Luxemburgo em 2020 diminuiu 12,4% face ao ano precedente.

De acordo com o Relatório da Emigração 2020, apresentado recentemente em Lisboa, 3.286 portugueses entraram no Grão-Ducado nesse ano, ou seja, menos 466 do que em 2019.


Famílias portuguesas são as que menos dinheiro têm para viver no país e estão em maior risco de cair na pobreza.
O Luxemburgo já não é o El Dorado
Pensem bem antes de emigrar para o Grão-Ducado, alerta quem conhece as dificuldades da nova emigração, pouco qualificada. As vidas de quem emigrou para pior e de quem está a regressar a Portugal.

O relatório conclui que a perda da imigração portuguesa no Luxemburgo tem vindo a acentuar-se entre 2003 e 2020. Há cerca de 20 anos, os portugueses que chegavam ao Grão-Ducado totalizavam 29% dos novos estrangeiros, enquanto em 2020 esse valor desceu para os 15%.

Quanto à aquisição da nacionalidade luxemburguesa em 2020, houve 981 portugueses que passaram a ter o passaporte luxemburguês (os portugueses eram 10,4% dos estrangeiros que obtiveram a nacionalidade). É o valor mais baixo desde 2008, altura em que a lei luxemburguesa exigia a renúncia da nacionalidade de origem, com apenas 245 aquisições.

Sobre as remessas, os emigrantes enviaram para Portugal 78,4 milhões de euros, o valor mais baixo desde 2016.


Há cada vez mais portugueses a pedirem a nacionalidade luxemburguesa
Segundo o relatório mais recente do Observatório da Emigração, a percentagem de portugueses a pedir nacionalidade luxemburguesa em 2020 representou um aumento pela primeira vez em quatro anos.

Em 2020, estavam registados nos serviços consulares no Luxemburgo 149.215 portugueses (incluindo transfronteiriços e alguns cidadãos que, entretanto, abandonaram o país), mas apenas 95.057 (15,2% do total da população e 32,1% dos estrangeiros) faziam parte da lista das autoridades luxemburguesas como residentes com nacionalidade portuguesa (incluindo vários cidadãos de origem dos países lusófonos).

Foram ainda expulsos do Grão-Ducado 10 portugueses nesse ano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os portugueses no Grão-Ducado representam 16,4% da população, segundo os dados do Statec, que contabiliza 96.800 mil imigrantes no país. Mas os registos consulares dão conta de 113 mil, o que corresponde a 19% do total da população do Grão-Ducado, segundo o Relatório da Emigração, divulgado hoje.
O homem que marcou um golo do Luxemburgo contra a seleção de Cristiano Ronaldo, em 2012, é candidato às legislativas pelo ADR. O partido nacionalista é conhecido pelas posições contra os direitos dos estrangeiros, mas o jogador de futebol defende que "não é racista". Nesta grande entrevista ao Contacto, este filho de imigrantes portugueses explica as razões que o levaram a filiar-se no ADR.
Daniel Da Mota. Photo: Guy Wolff
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo