Escolha as suas informações

Papa Francisco limita poder da Opus Dei
Sociedade 2 min. 06.08.2022
Reforma

Papa Francisco limita poder da Opus Dei

Papa Francisco e o líder da Opus Dei, Fernando Ocariz Brana
Reforma

Papa Francisco limita poder da Opus Dei

Papa Francisco e o líder da Opus Dei, Fernando Ocariz Brana
EPA
Sociedade 2 min. 06.08.2022
Reforma

Papa Francisco limita poder da Opus Dei

AFP
AFP
De acordo com algumas interpretações do decreto papal, o líder da Opus Dei já não será considerado bispo.

No seu "Motu Proprio", um decreto pessoal do Pontífice, Francisco reduziu o poder e a independência da poderosa organização católica, e colocou uma distância real entre o Opus Dei e ele próprio, dizem alguns peritos do Vaticano.

O decreto entrou em vigor na quinta-feira. Especialmente presente na Europa e na América do Sul, "A Obra de Deus" - tradução de nome latino - recebeu em 1982, por João Paulo II, o único status de "prelatura pessoal". Tornou-se assim uma espécie de "super-diocese" sem território, governada tanto pela lei canónica como pelos seus próprios estatutos, e responsável perante o Papa. 

O documento papal, intitulado "Ad charisma tuendum" (Para proteger o carisma), indica que as prerrogativas papais sobre a prelatura pessoal são confiadas ao Dicastério - o equivalente a um ministério - para o Clero. 


Este Cardeal português pode vir a ser o próximo Papa
O Contacto conversou com José Tolentino de Mendonça no Vaticano.

Todos os anos (em vez dos atuais de cinco em cinco anos) o Opus Dei terá de apresentar a este órgão um relatório sobre a situação interna e o progresso do seu trabalho apostólico. "Algumas pessoas interpretaram as disposições da Santa Sé em termos de 'despromoção' ou 'perda de poder'", garante Manuel Sanchez, do gabinete de imprensa do Opus Dei, cita a AFP. 

Sanchez diz ainda que "não estamos interessados neste tipo de dialética porque, para um católico, o uso de categorias de poder ou de mundanismo não faz sentido". 

Jorge Bergoglio, que desde a sua chegada ao papado em 2013 tem estado empenhado na reforma da Cúria Romana, o governo central da Igreja, aprovou várias medidas para modernizar e assegurar uma maior transparência no seio da instituição. 

Governo do Opus Dei será baseado mais no carisma do que na hierarquia 

Segundo Jesús Bastante, do site espanhol Religión Digital, 40 anos depois de João Paulo II ter elevado o Opus Dei ao estatuto de prelatura pessoal, "Francisco procura acabar com uma estrutura excessivamente hierárquica". De acordo com algumas interpretações do texto, o líder da Opus Dei já não será considerado bispo e não poderá usar vestes episcopais. 


O Arquivo Apostólico do Vaticano.
O Papa pediu e o Arquivo do Vaticano deixou de ser secreto
“Hoje, a palavra secreto tem uma carga que é insuportável e então secreto associado a um arquivo da Igreja Católica torna-se verdadeiramente alvo de todas as elucubrações mais estranhas", afirma o Cardeal português José Tolentino de Mendonça.

O chefe do Opus Dei, Fernando Ocariz, tinha declarado no site oficial, em julho, que o título de bispo "não era e não é necessário para a condução dos negócios do Opus Dei". A forma de governo do Opus Dei será "baseada mais no carisma do que na autoridade hierárquica", sublinhou Francisco no seu documento. 

Fundada em 1928 em Espanha por um jovem sacerdote, Josemaria Escrivá de Balaguer (1902-1975), a organização tem cerca de 90 mil membros em 80 países, incluindo 1.900 sacerdotes. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.