Escolha as suas informações

Pagou demais por uma reparação em casa? As queixas estão a aumentar
Sociedade 2 min. 10.01.2021

Pagou demais por uma reparação em casa? As queixas estão a aumentar

Pagou demais por uma reparação em casa? As queixas estão a aumentar

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 10.01.2021

Pagou demais por uma reparação em casa? As queixas estão a aumentar

Redação
Redação
A União dos Consumidores do Luxemburgo lança um alerta sobre preços astronómicos, consertos mal feitos e outras fraudes das empresas de reparações domésticas. E deixa conselhos.

"As queixas estão a aumentar" diz a União dos Consumidores do Luxemburgo num comunicado de alerta para as "fraudes" de canalizadores, pintores, técnicos de aquecimento e outros profissionais e empresas de reparações domésticas "pouco escrupulosas". 

Geralmente os consumidores contratam estes serviços em situação de urgência, quando se rompe um cano, o aquecimento se avaria, ou a chave fica na fechadura. Canalizadores, serralheiros, eletricistas e técnicos de chauffage chegam rapidamente. 

Só que depois apresentam "faturas de várias centenas de euros, por vezes aproximando-se dos mil euros ou mesmo mais, e sem que o problema tenha sido resolvido!", diz a UCL. Além das reparações mal feitas, ou situações em que ainda pioram o problema  ainda cobram um "preço astronómico pelos seus serviços". 

Há mais queixas. Os técnicos chegam "a pressionar as vítimas para realizar o pagamento", chegando a ser "agressivos ou ameaçadores", e os recibos são "emitidos com relutância". Trata-se de "verdadeiras fraudes", reitera a UCL.

Contudo, estes técnicos e empresas fraudulentos encontram-se bem referenciados nos motores de busca. "Os nomes destas empresas e sociedades comerciais mudam com frequência mas o 'modus operandi' continua igual", ou seja, "sem escrúpulos".

Como encontrar um profissional sério e competente?

A União dos Consumidores deixa vários conselhos para a escolha destes técnicos de reparações, que deve ser feita "sem stress", mesmo que o problema seja urgente.

 -Fale com um profissional do sector que tenha instalações acessíveis ao público. -Pedir orçamentos a empresas diferentes. Numa situação de emergência, se não tiver tempo para falar com vários empresas, escolha uma empresa cujos dados estejam listados no website (endereço da sede social, número de IVA, número de registo de IVA, etc.). Comércio, ...). 

-Se apenas for exibido um número de telemóvel, mantenha-se alerta. 

-Não confie num endereço web que termine em ".lu": isto não significa necessariamente que a empresa esteja sediada no Luxemburgo.  

- Nunca confie nas classificações de consumidores satisfeitos proclamados no site online do profissional ou na internet. Podem ser falsas. 

- Se o website apresentar a etiqueta "Made in Luxembourg", deverá primeiro informar-se, na medida do possível, se foi efetivamente atribuído à empresa em em questão esta referência

 - Se o website da empresa afirma que a empresa é um parceiro aprovado de grandes companhias de seguros, perguntar então à seguradora em questão se a informação é verdadeira. 

- Se o preço cobrado parecer exorbitante em comparação com os preços de mercado, se o trabalho não for concluído ou for mal feito, o consumidor deve recusar-se a pagar em dinheiro e em cartões bancários. Isto permitir-lhe-á contestar o montante cobrado. 

Se já foi vítima destas fraudes

Se foi vítima de uma fraude por profissionais ou empresas de reparações domésticas não hesite em contactar a União dos Consumidores para saber como pode proceder. 

Pode fazê-lo por carta ULC 55, rue des Bruyères L-1274 Howald; por telefone para o número 49.60.22-1, ou através de email para: info@ulc.lu.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.