Escolha as suas informações

Países europeus deverão sair juntos das quarentenas
Sociedade 2 min. 27.03.2020

Países europeus deverão sair juntos das quarentenas

Países europeus deverão sair juntos das quarentenas

Foto: AFP
Sociedade 2 min. 27.03.2020

Países europeus deverão sair juntos das quarentenas

Telma MIGUEL
Telma MIGUEL
A presidente da Comissão Europeia, Von der Leyen, defende que a estratégia de regresso à normalidade tem de ser suportada por evidência científica.

No momento em que os vários países europeus estão a anunciar o prolongamento dos seus regimes de quarentena - o Conselho de Segurança da Bélgica deverá declarar hoje a extensão em pelo menos mais duas semanas - a presidente da Comissão Europeia anunciou ontem que a saída dos cidadãos dos seus regimes de confinamento deverá ser “coordenada a nível europeu” e com uma estratégia semelhante para todos.

“Estamos a trabalhar com cientistas e especialistas a forma como e quando, a certa altura, iremos regressar à normalidade”, disse, alertando que essa decisão irá “ser baseada na ciência” e deverá ser coordenada entre todos os estados-membros. As medidas poderão incluir um regresso gradual à normalidade, em vários passos, e não o levantamento total das várias restrições em vigor.

Num momento em que as medidas de isolamento são tidas como eficazes a conter a propagação exponencial das infeções com o novo coronavírus, também se receia que as saídas demasiado rápidas das medidas extremas possam conduzir a “segundas vagas”. Do Extremo Oriente, onde a pandemia começou, estão a começar a surgir os primeiros sinais de alerta em relação a decisões prematuras. Hong Kong, depois de levantar o isolamento, está agora a assistir a um ressurgimento das infeções e o Japão aumentou as medidas de isolamento para prevenir uma nova explosão. O governador de Tóquio pediu aos cidadãos que não saiam de casa por nenhum motivo este fim-de-semana.

Itália, foi o primeiro país europeu a entrar em quarentena, primeiro a Lombardia e as regiões do Norte, a 23 de fevereiro, e depois o país inteiro, a 9 de março. O Luxemburgo tem neste momento um regime de confinamento doméstico até junho. Portugal termina o estado de emergência a 3 de abril, mas foram já dados sinais de que haverá um prolongamento da ordem para ficar em casa e fecho de atividades não essenciais por um período de pelo menos mais 15 dias. Quase todos os países da União Europeia, e neste momento também o Reino Unido, estão a viver em “lockdown”, com restrições a viagens, saídas de casa e fechos de estabelecimentos comerciais. Alguns deles estão a impor vigilância policial como forma de garantir a permanência de pessoas em casa.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.