Escolha as suas informações

Países da UE aconselhados a reutilizar águas residuais
Sociedade 2 min. 04.08.2022
Ambiente

Países da UE aconselhados a reutilizar águas residuais

A água utilizada para preparar alimentos e cozinhar, por exemplo, poderia ter outras funções
Ambiente

Países da UE aconselhados a reutilizar águas residuais

A água utilizada para preparar alimentos e cozinhar, por exemplo, poderia ter outras funções
Foto: Louis Hansel/Unsplash
Sociedade 2 min. 04.08.2022
Ambiente

Países da UE aconselhados a reutilizar águas residuais

AFP
AFP
Mais de 40.000 milhões de m3 de águas residuais são tratados anualmente na UE, mas apenas 964 milhões são reutilizados.

A escassez de água e o stress hídrico irão provavelmente afetar metade das bacias hidrográficas da União Europeia (UE) até 2030 e os Estados-membros deverão aprender a reutilizar as águas residuais tratadas, advertiu esta quarta-feira a Comissão Europeia.

"Os recursos de água doce são escassos e cada vez mais esticados. É nosso dever deixar de desperdiçar água e utilizá-la de forma mais eficiente", salientou Virginijus Sinkevicius, Comissário do Ambiente, nos seus conselhos aos Estados-membros sobre a reutilização da água no setor agrícola.


Barragem do Alto Rabagão, Montalegre, Portugal.
Metade da UE está em risco de seca prolongada. Luxemburgo "mais seco que o normal"
Embora não esteja no grupo dos estados mais atingidos, no geral, o mais recente relatório da Comissão Europeia inclui o Grão-Ducado entre os países cujo solo se apresenta "mais seco que o normal". E a previsão é de agravamento até ao fim do verão.

Mais de 40.000 milhões de metros cúbicos de águas residuais são tratados anualmente na UE, mas apenas 964 milhões de metros cúbicos são reutilizados, de acordo com dados fornecidos pela Comissão.

Reutilização da água "aquém" do seu potencial

A reutilização da água é praticada amplamente e com sucesso em vários países da UE, bem como em Israel, Austrália, Singapura e no estado norte-americano da Califórnia, disse a Comissão. A França é citada como exemplo, com 7,7 milhões de m3 de águas residuais tratadas reutilizadas todos os anos.

"Mas, até agora, a utilização do seu potencial tem ficado aquém do seu potencial na UE", lamenta o executivo europeu.

A falta de um quadro de apoio à reutilização da água e a pouca informação pública sobre os benefícios desta tecnologia são dois grandes obstáculos que impedem que a prática se torne mais generalizada na UE, salienta o relatório.

Incentivos regulamentares e financeiros mais fortes poderiam ajudar a Europa a reutilizar mais de 6 mil milhões de m3 de água por ano até 2025, argumenta a Comissão.

Mediterrâneo é o mais afetado pela seca

A escassez de água afeta atualmente 11% da população da UE e 17% do seu território, mas a situação é mais preocupante em redor do Mediterrâneo, onde cerca de 50% da população vive sob constante stress hídrico durante o verão.


Margens do rio Moselle, em Metz.
Região da Moselle agrava medidas para poupança de água
Há várias atividades que implicam o uso de água que estão proibidas de ser realizadas nos próximos dias, devido à seca na região e à previsão de subida das temperaturas.

É provável que a seca e a escassez de água se tornem mais frequentes e graves no futuro, adverte a Comissão. Afetam a agricultura, o turismo e a indústria e podem ter enormes impactos ambientais. Quando há muito pouca água nos rios e lagos, as zonas húmidas secam e a água salgada pode infiltrar-se nos recursos hídricos subterrâneos.

A UE tem um regulamento sobre reutilização de água, que será aplicável a partir de junho de 2023. A Comissão propôs igualmente a revisão da legislação da UE sobre emissões industriais e tratamento de águas residuais urbanas para encorajar a reutilização da água.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Nos últimos 40 anos, a água que enche as barragens junto à nascente do Tejo ficou reduzida a metade. Um transvase continua a desviar água do rio mais longo da Península Ibérica para irrigar o sudeste de Espanha - e o que sobra no caudal já não chega para as necessidades. As alterações climáticas agravam ainda mais a crise de escassez de água.
O Luxemburgo é o país da União Europeia com melhor qualidade de água nas zonas balneares. De acordo com um estudo divulgado esta segunda-feira pela Agência Europeia do Ambiente, todas as zonas balneares do Luxemburgo tinham uma excelente qualidade de água em 2017.
Praia fluvial de Bourscheid.