Escolha as suas informações

OMS considera oficialmente 'burnout' uma doença

OMS considera oficialmente 'burnout' uma doença

Foto: Shutterstock
Sociedade 28.05.2019

OMS considera oficialmente 'burnout' uma doença

'Burnout' caracteriza-se como um estado de stress extremo relacionado com o trabalho.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou no início desta semana que o 'burnout' (termo inglês que designa um estado de stress extremo relacionado com o trabalho) entrou para a classificação internacional de doenças. 

A nova lista vai entrar em vigor a 1 de janeiro de 2022 e tem por base análises de peritos de todo o mundo. Foi também adotada pela assembleia-geral da organização que aconteceu em Genebra, na Suíça.

Na classificação internacional de doenças que serve de base para as estatísticas de saúde, o 'burnout' surge na secção dos  "problemas associados" ao emprego e desemprego, sendo descrito como "um síndrome resultante de stress crónico no trabalho que não foi gerido com êxito". Como tal, a OMS esclarece que a doença só se aplica ao ambiente profissional e não noutras situações. 

A lista de sintomas inclui sentimento de exaustão e sentimentos negativos associados ao trabalho, redução da eficiência profissional e distanciamento mental em relação ao trabalho. 

Os médicos advertem, no entanto que, antes de se fazer um diagnóstico final da doença é necessário excluir hipóteses como as dificuldades de adaptação ou ansiedade. 

A saúde mental é um dos temas que mais preocupa a sociedade médica e científica atualmente. Há muito que o termo 'burnout' é vulgarmente utilizado nas sociedades ocidentais mas não tinha tido ainda uma definição e reconhecimento oficiais. O psicólogo Herbert Freudenberger foi o primeiro utilizar a palavra num artigo científico publicado em 1974. Desde então, outros estudos têm sido conduzidos para perceber as causas e consequências do fenómeno. 

Os médicos aconselham as pessoas a procurar ajuda profissional assim que acharem que sofrem de algum dos sintomas acima referidos.

Ana Patrícia Cardoso