Escolha as suas informações

"O trabalho do primeiro-ministro é continuar". Boris Johnson não se demite
Sociedade 06.07.2022
Reino Unido

"O trabalho do primeiro-ministro é continuar". Boris Johnson não se demite

Boris Johnson
Reino Unido

"O trabalho do primeiro-ministro é continuar". Boris Johnson não se demite

Boris Johnson
AFP
Sociedade 06.07.2022
Reino Unido

"O trabalho do primeiro-ministro é continuar". Boris Johnson não se demite

Lusa
Lusa
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse esta quarta-feira no Parlamento que tenciona permanecer no cargo, apesar dos pedidos de renúncia de mais dois ministros e de outros funcionários do seu Governo.

Mergulhado numa profunda crise política devido à renúncia de vários membros do seu Governo, Boris Johnson marcou presença na sessão na Câmara dos Comuns, na qual tanto os partidos da oposição como alguns deputados conservadores exigiram a sua demissão, na sequência de uma série de escândalos.

"O trabalho de um primeiro-ministro em tempos difíceis, em circunstâncias em que lhe foi dado um mandato colossal, é continuar. E é isso que vou fazer", disse o primeiro-ministro britânico.


O primeiro-ministro Boris Johnson (C), o ministro da Saúde, Sajid Javid (Esq.) e o ministro das Finanças, Rishi Sunak (Dir)
Fim da linha para Boris Johnson? Dois ministros demitiram-se esta terça-feira
Rishi Sunak e Sajid Javid anunciaram a demissão nas redes sociais depois de Boris Johnson ter pedido desculpa por nomear para o governo Chris Pincher, acusado de assédio sexual.

A continuidade de Johnson no poder ficou ainda mais periclitante, após as renúncias do secretário do Tesouro, Rishi Sunak, e do secretário de Saúde, Sajid Javid, que se demitiram hoje, alegando que não podiam apoiar Johnson, abalado por vários casos de índole ética.

Johnson rapidamente substituiu os dois membros do seu executivo, mas uma série de outros governantes anunciou já a sua saída, diminuindo o apoio de Johnson dentro do seu Partido Conservador.

Os opositores internos esperam agora conseguir mudar as regras do partido para permitir um novo voto de desconfiança no primeiro-ministro, depois de Johnson ter sobrevivido a uma moção de confiança, no mês passado.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A indignação causada pelas alegadas "festas" no Governo britânico que violaram as restrições da pandemia covid-19, escândalo conhecido por 'Partygate', aumentou a probabilidade de o primeiro-ministro, Boris Johnson, ser forçado a sair.