Escolha as suas informações

O plano do Luxemburgo para salvar as florestas
Sociedade 2 min. 01.12.2022
Natureza

O plano do Luxemburgo para salvar as florestas

Temperaturas extremas no Verão e períodos cada vez mais longos de seca têm afetado as florestas do Luxemburgo.
Natureza

O plano do Luxemburgo para salvar as florestas

Temperaturas extremas no Verão e períodos cada vez mais longos de seca têm afetado as florestas do Luxemburgo.
Foto: Maximilian Richard
Sociedade 2 min. 01.12.2022
Natureza

O plano do Luxemburgo para salvar as florestas

Redação
Redação
Em 2021, mais de metade das árvores de todas as espécies estavam gravemente danificadas ou mortas.

A natureza do Luxemburgo está num estado preocupante. Além do facto de dois terços dos habitats naturais do Grão-Ducado estarem ameaçados, tal como a biodiversidade, as florestas também se encontram em muito mau estado. 

De acordo com o último inventário fitossanitário de 2021, 51,3% das árvores de todas as espécies estavam gravemente danificadas ou mortas. Um terço estava ligeiramente danificado. E apenas 16% das árvores eram saudáveis.

Este é um facto alarmante, uma vez que as florestas cobrem um terço do território do Luxemburgo. Qual é a causa? Temperaturas extremas no Verão e períodos cada vez mais longos de seca. Além disso, a floresta tem de fazer face à escassez de água e a um aumento de parasitas, que a enfraquecem.

Medidas já em vigor

Para proteger o património florestal e reforçar a sua resistência às alterações climáticas, o governo luxemburguês introduziu várias medidas, incluindo o programa "Klimabonus". Este programa prevê um prémio para a implementação de silvicultura próxima da natureza.


Contacto , Bericht über die Auswirkungen der Dürre in Luxemburg , Interview mit Christophe Hissler und Stanislaus Schymanski ,  LIST-Experten , Auswirkungen der Dürre  Foto: Anouk Antony/Luxemburger Wort
Como a seca está a mudar o Luxemburgo
Este verão foi o mais seco dos últimos 100 anos no Grão-Ducado. Riachos secaram e árvores morreram. As reservas de água potável podem estar em risco em algumas comunas. Até a produção do vinho poderá mudar. Fenómenos que estão a mudar o Luxemburgo tal como o conhecemos.

Em 2021, foram processados 299 pedidos para uma superfície de aproximadamente 5.000 hectares, dos quais 3.000 em áreas protegidas. "Mais de 20% dos proprietários elegíveis já subscreveram o princípio", anunciou o governo.

Na quarta-feira, o Ministério do Ambiente apresentou um novo plano em Perlé/Rambrouch para salvar as florestas do Luxemburgo: um "travailloscope". Em termos concretos, trata-se de um instrumento educativo para o trabalho florestal em povoamentos jovens.

"É um campo de treino florestal onde vários troncos de árvores (desde a muda até ao poleiro) foram inventariados, qualificados e descritos em pormenor em estações definidas. Os participantes no curso devem aprender a tomar decisões sobre as intervenções florestais necessárias, com o objetivo de cultivar uma floresta mista estruturada, fazendo o máximo uso da dinâmica natural do ecossistema", explica o Ministério. 

Para estudantes e profissionais

Por outras palavras, este projeto visa reforçar a resiliência dos ecossistemas florestais. "De facto, a implementação de conceitos silvícolas resilientes requer gestores com conhecimentos e formação. A fim de introduzir os gestores - tanto públicos como privados - nas novas técnicas, a formação é essencial", acrescenta o Governo.


Der Biber galt jahrzehntelang in Luxemburg als ausgestorben. In den letzten Jahren ist er wieder vermehrt aufgetaucht.
Estado da natureza no Luxemburgo é "preocupante"
Dois terços dos habitats naturais do Luxemburgo encontram-se num estado precário. E a biodiversidade também está em risco.

Este "travailloscope", destinado tanto a profissionais como a estudantes de silvicultura, permitirá assim orientar as intervenções silvícolas desde a fase de jovens povoamentos florestais no sentido de uma gestão sustentável e responder aos desafios que possam surgir num futuro próximo, uma espécie de caixa de ferramentas evolutiva.

A lei também tornará obrigatória a utilização do ficheiro de espécies de árvores ecológicas, a fim de assegurar que pelo menos 50% das espécies de árvores postas em prática sejam adaptadas ao local, condição essencial para a resiliência. Desde 2018, o Governo tem posto em prática novos incentivos sob a forma de subsídios.

(Este artigo foi originalmente publicado no Virgule)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.