Escolha as suas informações

Nova escola pública no Luxemburgo vai oferecer programa de francês gratuito
Sociedade 04.07.2022
Educação

Nova escola pública no Luxemburgo vai oferecer programa de francês gratuito

Exames no Luxemburgo
Educação

Nova escola pública no Luxemburgo vai oferecer programa de francês gratuito

Exames no Luxemburgo
Foto: Anouk Antony
Sociedade 04.07.2022
Educação

Nova escola pública no Luxemburgo vai oferecer programa de francês gratuito

Andréa OLDEREIDE
Andréa OLDEREIDE
As escolas públicas do Luxemburgo estão a oferecer cada vez mais opções para a educação internacional.

Uma nova escola pública no Luxemburgo irá oferecer o programa de Bacharelato Internacional (IB) em francês a partir de setembro, dando às crianças a oportunidade de obter o prestigioso diploma sem qualquer custo. 

O Bacharelato Internacional Francófono, que permite aos estudantes aceder facilmente a universidades no estrangeiro, será oferecido no Lycée Mathias Adam, com sede em dois locais no sul, Lamadelaine e Differdange.

Duas escolas públicas na Cidade do Luxemburgo já oferecem o programa IB: o Lycée Athénée de Luxembourg, em inglês, e o Lycée Technique du Centre, em francês.

Os estudantes podem também frequentar uma das três escolas privadas internacionais e multilingues do país para se licenciarem com a qualificação globalmente reconhecida, que é ensinada em escolas de todo o mundo.

População cada vez mais internacional

Os legisladores aprovaram no mês passado planos para abrir uma nova escola europeia gerida pelo Estado no Luxemburgo, a sexta deste tipo no país e a primeira na capital, uma vez que a população do país se torna rapidamente mais internacional.

Com mais de um terço de pessoas a falar mais de uma língua em casa, o Grão-Ducado tem o maior número na Europa de estudantes cuja língua materna não é aquela que é ensinada na escola.

O número de falantes da língua luxemburguesa tem vindo a diminuir continuamente, com apenas 34% dos alunos do ensino primário e 40% dos alunos do ensino secundário a falar a língua nacional como língua principal em casa, revelou um relatório educativo publicado em dezembro, sobre o ano letivo de 2019-2020.

(Este artigo foi originalmente publicado no Luxembourg Times.)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Claude Meisch mudou o paradigma do ensino luxemburguês, com a criação de escolas europeias integradas no ensino público que oferecem a possibilidade de escolher a língua de alfabetização. A chegar ao fim do mandato, o ministro da Educação escreveu um livro para defender essa opção. Chama-se “Crianças fortes: um assunto do coração” (“Staark Kanner – Eng Häerzenssaach”, em luxemburguês), e foi o pretexto para fazer o balanço das reformas.
O ministro da Educação defende um ensino diferenciado para dar resposta aos alunos estrangeiros.
Até ao final da semana, 137.758 alunos regressam às aulas no Luxemburgo, dos quais 48.176 ingressam esta quinta-feira, 15 de Setembro, no ensino fundamental, de acordo com os números divulgados esta terça-feira pelo Ministério da Educação Nacional.
As escolas públicas abrem as portas esta quinta-feira
A Escola Internacional de Differdange (EIDD) começa a funcionar na segunda-feira, dia 12 de Setembro. Os alunos das primeiras nove turmas chegam este mês e, gradualmente, virão os restantes 1.400 até 2018, ano em que a escola deverá estar definitivamente concluída. Para este primeiro ano lectivo foram contratados 18 professores.
Os portugueses são a segunda nacionalidade mais representada na nova escola, com 25 alunos entre os 110 inscritos. Apesar disso, por falta de interesse na língua portuguesa, a escola arranca sem aulas de português no primário