Escolha as suas informações

No Luxemburgo existem psicólogos em todos os liceus
Sociedade 3 min. 24.01.2020 Do nosso arquivo online

No Luxemburgo existem psicólogos em todos os liceus

No Luxemburgo existem psicólogos em todos os liceus

Foto: Steve Eastwood
Sociedade 3 min. 24.01.2020 Do nosso arquivo online

No Luxemburgo existem psicólogos em todos os liceus

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Mesmo assim, depressão está em alta entre os jovens adultos, entre os 18 e os 30 anos.

O Luxemburgo é um dos raros países do mundo, onde existe, pelo menos um psicólogo, em permanência, em cada escola secundária pública do país, estima ao Contacto, Alice Stoffel, psicóloga do Centre Psyco-Social et d’Accompagnment Scolaires (CePas), um serviço do Ministério da Infância e Juventude que visa a promoção do bem-estar e saúde dos adolescentes. E, em particular a saúde mental.

Em muitas escolas existe "mais do que um destes especialistas" que desenvolvem todo um "trabalho psicossocial e educativo nas escolas para promover o bem-estar dos adolescentes", declara Alice Stoffel. No total, "mais de uma centena de psicólogos trabalha diariamente nas escolas". Esta promoção é feita "através da estimulação dos recursos dos jovens, compreender e reconhecer os seus problemas e oferecer ajuda".

Para muitos estudantes estes Serviços de Apoio Psicossocial e Educativo (SePAS) das suas escolas "podem tornar-se no apoio especializado que necessitam para descobrir que podem encontrar-se com problemas, nomeadamente em estados depressivos", explica esta psicóloga. Os psicólogos desenvolvem frequentemente com os alunos sessões introdutórias de gestão de emoções "Stress Less @ Lycée", e é aí que "percebem quando os jovens se debatem com problemas". Outras vezes são os próprios alunos que os procuram durante o horário escolar. "Há casos em que acontece ser necessário chamar os pais do estudante para trabalhar com eles também" na resolução do problema, conta a psicóloga.

A aposta destes serviços é a prevenção das doenças do foro mental nos jovens, através do "desenvolvimento das competências emocionais e sociais individuais, dos jovens, mas também de todos os membros da comunidade escolar", salienta Alice Stoffel.

Depressão em alta entre os jovens adultos

O apoio psicológico do SOS Détresse destina-se a pessoas com mais de 18 anos, mas sem falar em casos particulares, pois é confidencial. Sébastien Hay, diretor desta associação aponta que entre estes jovens adultos a depressão tem tendência a aumentar. Especialmente entre os 18 e os 30 anos. "Entre os que acabam os estudos há quem considere as perspetivas futuras negativas, quanto ao trabalho, habitação, outros encontram-se sem perspetivas e isso pode conduzir a estados depressivos", vinca.

Outros possuem "vidas muito stressantes no trabalho, com muita pressão", e com "pouco tempo para a vida familiar" o que os incomoda e conduz ao desalento. Também aqui existem pessoas que acabam por desenvolver uma depressão, explica Sébastien Hay. Um relatório da Chambre des Salariés do Luxemburgo divulgado no passado dia 20 sobre a "Qualidade do Trabalho" sobre a depressão no trabalho, revelava que no Grão-Ducado, o risco dos trabalhadores desenvolverem uma depressão é relativamente elevado e tem aumentado, passando de 22,8 % em 2016, para 26,7 % em 2019. Em 2015, o Luxemburgo era o 7º país com o risco mais elevado.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas