Escolha as suas informações

Índice mundial. Imprensa luxemburguesa menos livre em 2020
Sociedade 20.04.2021

Índice mundial. Imprensa luxemburguesa menos livre em 2020

Índice mundial. Imprensa luxemburguesa menos livre em 2020

Foto: AFP
Sociedade 20.04.2021

Índice mundial. Imprensa luxemburguesa menos livre em 2020

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
O Luxemburgo cai três lugares no Índice Mundial da Liberdade de Imprensa. Passa do 17.º para o 20.º lugar na classificação, elaborada anualmente pelos Repórteres Sem Fronteiras (RSF). Este é o pior resultado do Grão-Ducado neste ‘ranking’. Ainda há oito anos ocupava a 4.ª posição.

2020, ano do início da pandemia de covid-19, fica assim marcado por menos liberdade por parte imprensa nacional. 

Os Repórteres Sem Fronteiras destacam alguns factos, como a compra do maior grupo de comunicação social do país Saint-Paul pelo grupo belga Mediahuis que posteriormente recorreu a despedimentos coletivos, tendo prescindido de 20% da sua massa salarial. Ao mesmo tempo, o diário Lëtzebuerger Journal acabara com a edição em papel. 

Por outro lado, o Governo encetou a reforma da rádio sociocultural 100,7, com vista a alterar os estatutos para criar um média público generalista e independente.

O relatório dos Repórteres Sem Fronteiras refere que os jornalistas tiveram “muitas vezes” dificuldades em obter informação relevante sobre a crise sanitária e a gestão política do Governo, durante as primeiras semanas da pandemia.

Os Repórteres Sem Fronteiras são categóricos: “a nível estrutural, a imprensa luxemburguesa é limitada na sua ação pela dimensão restrita de um país onde os seus interesses entram rapidamente em conflito com os dos decisores e agentes económicos”.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.