Escolha as suas informações

Mortalidade rodoviária no Luxemburgo desce mais de 60% numa década
Sociedade 2 min. 22.11.2021
Acidentes

Mortalidade rodoviária no Luxemburgo desce mais de 60% numa década

Imagens de simulacro na A1.
Acidentes

Mortalidade rodoviária no Luxemburgo desce mais de 60% numa década

Imagens de simulacro na A1.
Foto: Claude Piscitelli
Sociedade 2 min. 22.11.2021
Acidentes

Mortalidade rodoviária no Luxemburgo desce mais de 60% numa década

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Entre 2009 e 2019, a taxa de incidência de acidentes mortais caiu mais de 60% na região do Grão-Ducado, cerca do dobro da queda registada no conjunto da UE, refere o Eurostat, que aponta duas regiões de Portugal entre as que tiveram mais acidentes fatais no ano de 2019.

O Luxemburgo foi uma das regiões europeias onde os acidentes mortais nas estradas mais reduziram nos últimos dez anos. Segundo os dados do Eurostat, publicados este domingo, entre 2009 e 2019 Grão-Ducado registou uma descida superior a 60% na incidência de acidentes fatais por milhão de habitantes.

A par do Luxemburgo, também duas regiões na Grécia (Sterea Ellada e Anatoliki Makedonia, Thraki), Wien na Áustria, e Västsverige, na Suécia, revelaram uma evolução semelhante, com um decréscimo também acima dos 60%. O declínio mais rápido foi registado em Espanha, na região de Ciudad de Melilla, correspondendo a uma queda de 100%.   

A taxa de incidência de acidentes mortais nas estradas no conjunto da União Europeia diminuiu quase um terço (-32%) nesse período, uma tendência que se repetiu em mais de 9 em cada 10 regiões para as quais existem dados disponíveis, sublinha o gabinete de estatísticas europeu.


Uma em cada três passagens de peões na Cidade do Luxemburgo não respeita a lei
Quase um terço das travessias da capital não está a uma distância mínima de cinco metros de lugares de estacionamento, como é exigido por lei.

Regiões portuguesas entre as que tiveram mais acidentes em 2019

De acordo com o mesmo relatório, em 2019 houve, em média, 52 mortes nas estradas por milhão de habitantes em toda a UE. 

Apesar da descida generalizada, entre 2009 e 2019 algumas regiões registaram entre três a quatro vezes mais esse valor. Duas delas colocam Portugal quase no topo (Madeira e Alentejo).

A nível regional, as taxas de incidência mais elevadas foram registadas na Província do Luxemburgo, na Bélgica (171 mortes na estrada por milhão de habitantes), seguindo-se a Região Autónoma da Madeira (165) e o Alentejo (156), em Portugal.

Em contrapartida, as taxas de incidência mais baixas foram registadas em Viena na Áustria (6), Estocolmo na Suécia (9) e Berlim na Alemanha (11). 

Reduzir as mortes na estrada a zero

Os objetivos de redução da mortalidade rodoviária nas estradas europeias são ambiciosos e a UE está apostada em, praticamente, erradicar as mortes nas próximas décadas.

O projeto multinacional "Vision Zero", criado para abordar a questão da segurança rodoviária no espaço comunitário, visa fazer descer o número de mortes nas estradas da UE para quase zero, até 2050. O plano estabeleceu o objetivo inicial de reduzir para metade o número de mortos e feridos graves até 2030.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O Luxemburgo apresenta uma média de mortes nas estradas superior à da União Europeia (UE). Em 2015, o Grão-Ducado registou 58 mortes por um milhão de habitantes, segundo o último relatório anual da Comissão Europeia sobre a segurança rodoviária, a ser divulgado esta quarta-feira.