Escolha as suas informações

Morreu o primeiro cão testado positivo para covid-19 nos EUA
Sociedade 3 min. 31.07.2020

Morreu o primeiro cão testado positivo para covid-19 nos EUA

Morreu o primeiro cão testado positivo para covid-19 nos EUA

Sociedade 3 min. 31.07.2020

Morreu o primeiro cão testado positivo para covid-19 nos EUA

Animal revelou sintomas semelhantes aos dos humanos e terá desenvolvido forma mais grave da doença. Terá sido contagiado pelo dono quando este esteve infetado.

Morreu o primeiro cão a ter resultado positivo no teste do coronavírus nos Estados Unidos da América. O animal, que acabou por ser eutanasiado por já se encontrar em profundo sofrimento, mostrou sintomas semelhantes aos de muitos humanos que desenvolvem formas mais graves da doença, relata a revista National Geographic, citada pela agência AFP.

De acordo com a mais recente edição da publicação, Buddy, um pastor alemão de sete anos, adoeceu em abril, na mesma altura em que o seu dono Robert Mahoney estava a recuperar da covid-19. A transmissão terá, portanto, ocorrido do dono para o cão, como tem acontecido nos poucos casos registados de animais de estimação que contraem a doença.

Nariz entupido e dificuldade em respirar foram os primeiros sintomas que o cão apresentou, tendo a sua condição continuando a deteriorar-se ao longo das semanas. Robert Mahoney, e a sua esposa Allison, que vivem em Nova Iorque, acabaram por ter de eutanizar Buddy, a 11 de Julho, quando este começou a vomitar coágulos de sangue e já não conseguia andar. 

A família disse à National Geographic que sempre suspeitou que o cão tivesse contraído a doença, mas que foi difícil confirmar.  Ao facto de poucas clínicas veterinárias se encontrarem abertas na sua zona de residência, juntou-se o ceticismo de alguns veterinários quanto à possibilidade de um animal apanhar covid-19, dado serem raros os casos. 

Mas as suspeitas de Robert Mahoney estavam certas. Uma clínica acabou por confirmar que Buddy estava, de facto, infectado e que o outro animal de estimação da família, um cachorro de 10 meses que nunca tinha estado doente, tinha anticorpos contra o vírus. 

Quadro semelhante ao dos humanos

Nos humanos, a covid-19 é mais severa e mortal quanto maior for a idade, imunodeprimidos e quando há outras patologias associadas, nomeadamente doenças crónicas.

Apesar de ainda não existirem estudos sobre essa correlação nos animais que contraem a doença, parece ter sido esse o caso de Buddy.

Os médicos que trataram o pastor alemão descobriram mais tarde que o cão também era suscetível de sofrer de linfoma, o que poderá indicar que, como acontece com os humanos, os animais com historial médico podem estar mais susceptíveis de adoecer gravemente com o novo coronavírus. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os animais de estimação não transmitiriam frequentemente o vírus aos seus proprietários. Doze cães e 10 gatos deram positivo para coronavírus nos Estados Unidos, de acordo com a National Geographic. 

Primeiro caso em Hong Kong

Em março, morreu em Hong Kong o primeiro cão diagnosticado com covid-19. O animal, um spitz alemão, tinha 17 anos e pertencia a uma mulher que esteve infetada com covid-19, em fevereiro, e que entretanto recuperou da doença.

O animal testou positivo para a doença e esteve em quarentena obrigatória em instalações do governo de Hong Kong desde o dia 26 de fevereiro, até meados de março.   

De acordo com especialistas, que o analisaram durante essa altura, foram feitos diversos exames ao animal e todos apontaram para "um baixo nível de infecção", o chamado "fraco positivo". 

Os dois últimos testes deram resultado negativo e as autoridades permitiram que o animal deixasse o centro e voltasse para casa, onde acabou por morrer pouco tempo depois.

A dona do cão não permitiu que fosse feita uma autópsia no corpo do animal para determinar a causa da morte, mas alguns especialistas sugeriram que, além da idade avançada, o stress causado pela quarentena e o afastamento do dono no período podem ter contribuído para o óbito.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Dois cães, um gato e um tigre infetados com novo coronavírus
A identificação de vários animais infetados com o novo coronavírus mostra que outras espécies podem ser contaminadas pelo ser humano. Organização Mundial de Saúde Animal diz que não há "justificação para medidas em relação aos animais de estimação" mas recomenda que pessoas doentes evitem contaminar animais de estimação.