Escolha as suas informações

Moçambicanos no Luxemburgo mobilizam-se para ajudar região da Beira
Cidade da Beira.

Moçambicanos no Luxemburgo mobilizam-se para ajudar região da Beira

Foto: AFP
Cidade da Beira.
Sociedade 2 min. 21.03.2019

Moçambicanos no Luxemburgo mobilizam-se para ajudar região da Beira

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Oficialmente há cerca de 30 moçambicanos no Luxemburgo, mas poderá haver mais com passaporte português, por exemplo.

A comunidade moçambicana no Luxemburgo está a mobilizar-se para apoiar a região da Beira, praticamente destruída pela passagem do ciclone Idai. A Beira é a quarta maior cidade do país, onde habitam também muitos portugueses. Em declarações, esta quinta-feira, à Rádio Latina, o vice-presidente da "Maison du Moçambique" (Casa de Moçambique) no Luxemburgo, Haidar Liasse, disse que a situação é preocupante e que poderá ainda piorar, com as descargas das barragens.

Haidar Liasse tem familiares e amigos na cidade da Beira, uma das regiões mais afetadas pelo ciclone e relata que a família está bem, mas falta água potável, comida e medicamentos. 

A Casa de Moçambique no Luxemburgo está a recolher roupas e bens não perecíveis para enviar para as regiões afetadas. Haidar Liasse disse ainda à Rádio Latina que a associação abriu uma conta bancária de emergência, associada aos Médicos Sem Fronteiras, e que espera agora a ajuda da população luxemburguesa.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Maláui e Zimbabué já provocou mais de 300 mortos, 200 dos quais confirmados só em Moçambique. O país decretou estado de emergência nacional e três dias de luto pelas vítimas. A cidade da Beira, com cerca de 500 mil residentes, é uma das mais afetadas pela intempérie

Segundo a Cruz Vermelha pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas só nesta cidade. Ainda ontem, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro avançou ontem que trinta portugueses estão por localizar na Beira. O executivo português enviou um contingente militar e médicos num avião C-130 para dar auxílio às operações de resgate.

Foto: AFP

O governo luxemburguês enviou também no fim de semana dois especialistas em telecomunicações e dois sistemas de comunicação por satélite para a cidade da Beira. Já hoje, a Cáritas e a ONG SOS Villages d’enfants Monde anunciaram também que estão a recolher fundos para ajudar Moçambique.

 Os interessados em ajudar o país, seja através de materiais, seja através de donativos, podem contactar a associação através da página de Facebook "Maison du Moçambique – Luxembourg".

De acordo com dados da embaixada de Moçambique em Bruxelas, residem oficialmente cerca de 30 moçambicanos no Luxemburgo. Contudo, a realidade pode ser outra, já que há muitos moçambicanos a residir no país com passaporte português ou com dupla nacionalidade.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas